13:03 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    Ossos supostamente martelados por humanos podem apoiar a hipótese de que os humanos vieram para terras americanas há cerca de 130.000 anos, mais de 100.000 anos antes do que a ciência afirmava.

    Uma equipe internacional de arqueólogos realizou um novo estudo sobre os restos ósseos de um mastodonte encontrado nos anos 1990 nos subúrbios de San Diego, EUA, concluindo que os humanos estiveram presentes nas Américas há mais de 130.000 anos. Uma análise microscópica encontrou vestígios desses ossos nos lados voltados para cima de dois paralelepípedos recolhidos no sítio arqueológico.

    Levando em consideração a idade dos restos ósseos, os pesquisadores sugeriram que as pedras próximas podem ter sido usadas como martelos e bigornas para trabalhar os ossos. Tirando isso, não foram encontrados outros vestígios de atividade humana.

    Os autores da pesquisa publicada na revista Journal of Archaeological Science: Reports salientam que se trata de um impacto humano, pois se os restos ósseos estivessem em contato natural com as rochas, seus vestígios seriam vistos em toda a superfície das rochas, e não apenas no topo.

    Resíduos ósseos microscópicos encontrados nesta pedra sustentam afirmação contestada de que a pedra foi usada para quebrar ossos de mastodonte em sítio no sul da Califórnia, EUA, há cerca de 130.000 anos, segundo pesquisadores
    Resíduos ósseos microscópicos encontrados nesta pedra sustentam afirmação contestada de que a pedra foi usada para quebrar ossos de mastodonte em sítio no sul da Califórnia, EUA, há cerca de 130.000 anos, segundo pesquisadores

    Ao coletar o material do sítio, os arqueólogos da equipe de San Diego dizem ter excluído a possibilidade de que o pó ósseo de alguma forma se dispersasse e caísse nas rochas durante os trabalhos de escavação ou no laboratório. Mesmo em amostras de solo, eles encontraram evidências dos ossos em concentrações muito mais baixas do que nas partes superiores dos paralelepípedos.

    "[...] A explicação mais parcimoniosa é que o resíduo [e o desgaste] resultam do contato deliberado com o osso. Consideramos este cenário o mais provável", afirma o estudo.

    Por que seria cedo para reescrever a história?

    Com base em evidências arqueológicas, é considerado que os primeiros humanos chegaram ao continente americano entre 14.000 e 20.000 anos atrás. A nova teoria de 130.000 anos foi proposta em 2017 e, segundo a sociedade científica, são necessários mais argumentos do que os apresentados até agora.

    Muitos cientistas questionam a origem artificial do impacto sobre os ossos encontrados. Por exemplo, o sítio arqueológico de Cerutti Mastodon está localizado próximo a uma rodovia em construção e, por isso, é muito provável que os restos ósseos tenham sido desgastados por máquinas.

    Em um comentário ao portal Science News, o biólogo Gary Haynes, que não fez parte do estudo, disse que a versão mais provável é que os veículos do sítio enterraram estas pedras ao lado dos ossos do mastodonte.

    Outros críticos argumentam que a área foi exposta a impactos naturais muito antes da chegada de nossos ancestrais humanos, podendo ter sido pisados, deslocados, fraturados, desgastados e redirecionados por outros mamíferos utilizando o antigo canal lamacento.

    Mais:

    Qual a ligação genética mais profunda entre povos da Sibéria e das Américas? (FOTOS)
    Fósseis de 500 anos revelam 1ª geração de africanos levados para as Américas
    América já seria habitada muito antes do que se pensava
    Tags:
    Américas, San Diego, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar