07:48 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    170
    Nos siga no

    Cientistas acreditam que, em breve, material poderá ser um revestimento eficaz para aquecer edifícios inteiros ou descongelar rapidamente janelas em manhãs frias.

    Pesquisadores da Universidade de Lancaster, Reino Unido, identificaram um material capaz de armazenar com eficiência energia solar por longos períodos. Conhecido como estrutura metal-orgânica (MOF, na sigla em inglês), o material é formado por uma rede de íons metálicos ligados por moléculas baseadas em carbono. A descoberta foi detalhada na revista científica Chemistry of Materials.

    "O material funciona um pouco como materiais de mudança de fase, que são usados ​​para fornecer calor em aquecedores de mão […]. No entanto, embora os aquecedores de mão precisem ser aquecidos para recarregá-los, o bom desse material é que ele captura energia gratuita diretamente do Sol", afirma John Griffin, coautor do estudo, citado pelo portal Science Alert.

    Mola tensionada e esticada

    Os MOFs são porosos, ou seja, podem formar materiais compostos com outras moléculas pequenas. Os cientistas adicionaram moléculas de azobenzeno, que absorvem e armazenam muita luz. O mais interessante é que, quando desprendido, provoca uma rápida liberação de energia que emite calor, como uma mola, e que pode ser usada para aquecer outros materiais ou dispositivos. Os cientistas dizem que, em breve, material poderá ser utilizado para aquecer edifícios inteiros ou descongelar rapidamente superfícies.

    Os resultados falam por si: este composto foi capaz de armazenar energia ultravioleta por pelo menos quatro meses em temperatura ambiente antes de liberá-la novamente, relata o estudo. Os pesquisadores estimam que o material tenha uma vida útil de até quatro anos e meio.

    "[O material] também não possui peças móveis ou eletrônicas e, portanto, não há perdas envolvidas no armazenamento e liberação da energia solar. Esperamos que, com mais desenvolvimento, possamos fazer outros materiais que armazenem ainda mais energia", explica Griffin.

    Tecnologia em desenvolvimento

    No momento, é necessário mais trabalho para preparar o material para uso generalizado. Embora os testes tenham mostrado que o material pode reter energia por meses seguidos, a densidade de energia do material é relativamente baixa e os pesquisadores esperam melhorar.

    A boa notícia é que muitas configurações usadas nesta pesquisa podem ser ajustadas para tentar melhorar os resultados, o que provavelmente levará a outra maneira econômica e confiável de armazenar energia da qual podemos depender.

    "Nossa abordagem significa que há uma série de maneiras de tentar otimizar esses materiais, seja alterando o próprio fotointerruptor ou a estrutura do hospedeiro poroso", garante Nathan Halcovitch, coautor do estudo.

    Mais:

    Seul criará fundação para cooperar com Moscou no setor de energia de hidrogênio
    ONS alerta para 'dificuldade' no fornecimento de energia no Brasil até o final deste ano
    Dez vezes mais quente que Sol: China inaugura aparelho para obter energia de fusão nuclear (FOTOS)
    Usina nuclear tem bloco de energia desligado em situação de emergência na Finlândia
    Tags:
    energia solar, energia verde, energia limpa, energia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar