21:27 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    115
    Nos siga no

    A agência espacial dos EUA planeja extrair 85 quilos de amostras de rochas lunares altamente valiosas do satélite terrestre, havendo também missões de teste até a esperada missão Artemis III.

    A NASA publicou um relatório detalhando as prioridades científicas para a missão Artemis III agendada para 2024, durante a qual é esperado que astronautas da agência espacial pousem na Lua, indica um comunicado da organização.

    Planeja-se que os viajantes espaciais permaneçam um máximo de seis dias e meio no satélite natural da Terra. Os instrumentos científicos usados durante a missão devem ser leves para serem capazes de realizar mais de uma pesquisa.

    "Isto poderia consistir em um cache inerte de ferramentas/instrumentos a serem acessados pela tripulação na chegada e/ou um ou mais módulos de pouso ou rovers instrumentados para monitoramento ambiental", diz a agência.

    Também é importante o planejamento de uma ligação por vídeo e transmissão de informações entre o comando da NASA e os astronautas.

    Outro dos objetivos da missão será trazer de volta um total de 85 quilos de amostras de rochas lunares altamente valiosas. Em comparação, a NASA transportou 64 quilos em suas missões à Lua entre 1969 e 1972.

    Thomas Zurbuchen, administrador associado da Diretoria da Missão Científica da NASA, disse: "A Lua possui um vasto potencial científico e os astronautas vão nos ajudar a viabilizar essa ciência."

    "Este relatório ajuda a delinear um caminho em direção à ciência convincente que agora podemos ponderar fazer na superfície lunar em conjunto com exploradores humanos."

    Antes da missão decisiva, a Artemis I, programada até o fim de 2021, vai testar o Sistema de Lançamento Espacial e uma sonda Orion não tripulada. A missão Artemis II deve envolver um voo de teste da tripulação para a órbita lunar em 2023, antes de a aterrissagem na Lua ser tentada com a Artemis III.

    Tanto o presidente dos EUA em exercício Donald Trump como Joe Biden, que o deve suceder em janeiro de 2021, têm aprovado o projeto, estimado em US$ 28 bilhões (R$ 143 bilhões) e que cobre o período entre 2021 e 2025.

    Mais:

    Administrador da NASA diz que não vai continuar sob presidência Biden, mesmo que lhe seja pedido
    Tóquio e Washington assinam acordo de cooperação para exploração da Lua
    Lua cheia só para EUA? Países precisam de alternativa aos Acordos de Artemis, diz jurista canadense
    Tags:
    Terra, NASA, Orion, Joe Biden, Donald Trump, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar