13:07 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    373
    Nos siga no

    A maioria dos insetos pode voar. Mesmo assim, inúmeras espécies perderam essa habilidade extraordinária, principalmente nas ilhas subantárticas.

    Cientistas da Universidade Monash, Austrália, descobriram que uma teoria de 160 anos do biólogo Charles Darwin estava correta: o vento explica por que os insetos de certas ilhas perderam a capacidade de voar. Os resultados foram publicados nesta quarta-feira (9) na revista científica Proceedings of the Royal Society B.

    Nas pequenas ilhas que ficam a meio caminho entre a Antártica e a Austrália, quase todos os insetos perderam as asas. Darwin tinha uma teoria para isso e os pesquisadores queriam testá-la.

    "Claro, Charles Darwin sabia sobre esse hábito de perda de asas dos insetos das ilhas. Ele e o famoso botânico Joseph Hooker tiveram uma discussão substancial sobre por que isso acontece. A posição de Darwin era enganosamente simples. Se você voar, será lançado no mar. Os que ficaram em terra para produzir a próxima geração são os mais relutantes em voar e, eventualmente, a evolução faz o resto. Voilà", comenta em comunicado Rachel Leihy, autora principal do estudo.

    Durante muitos anos se acreditou que Darwin estava errado. No entanto, quase todas as discussões ignoraram o lugar que é o epítome da perda de voo: as ilhas subantárticas, que são dos lugares com mais vento da Terra.

    Mosca (imagem referencial)
    © Foto / Pixabay / skeeze
    Mosca (imagem referencial)

    "Se Darwin realmente se enganou, o vento não explicaria de forma alguma por que tantos insetos perderam sua capacidade de voar nessas ilhas", afirma Leihy.

    Moscas andam, mariposas rastejam

    Usando um grande e novo conjunto de dados sobre insetos das ilhas subantárticas, os cientistas examinaram todas as ideias propostas para contabilizar a perda de voo dos insetos.

    Apenas a teoria de Darwin explica a extensão da perda de voo em insetos subantárticos, embora em uma forma ligeiramente variada, concluem os pesquisadores.

    Condições de vento tornam o voo dos insetos mais difícil e energeticamente mais caro. Assim, os insetos param de investir no voo e em seu maquinário caro (asas, músculos das asas) e redirecionam os recursos para a reprodução. Dessa forma, inúmeras espécies perderam essa habilidade extraordinária. Nessas ilhas, as moscas andam e as mariposas rastejam.

    "É notável que, após 160 anos, as ideias de Darwin continuem a trazer inspirações para a ecologia", comemora disse Leihy.

    Mais:

    Criatura marinha de 400 milhões de anos via o mundo como insetos o veem (FOTO)
    Radiação de celulares pode ser causa de dramática diminuição de insetos, avaliam cientistas
    VÍDEOS com panorama 'assustador' mostram cidade siberiana 'conquistada' por praga de insetos
    'Armadura' inédita em insetos é descoberta em formigas (FOTOS)
    Tags:
    Charles Darwin, asa, ilha, inseto
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar