13:00 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    A minilua chamada 2020 CD3 conta com um diâmetro de entre um metro e 1,5 metro e chegou a ficar a 13 mil quilômetros do nosso planeta.

    A minilua 2020 CD3, que orbita a Terra nos últimos três anos, tem diâmetro de um pequeno carro e alcançou sua aproximação máxima de nosso planeta, a cerca de 13 mil quilômetros, revelaram cientistas em um estudo internacional que utilizou o Telescópio Discovery, no Observatório Lowell (LDT, na sigla em inglês), no Arizona, EUA.

    O asteroide 2020 CD3 tem entre um metro e 1,5 metro de diâmetro, de acordo com o estudo publicado na revista científica The Astronomical Journal. Observar este corpo celeste não foi fácil para os cientistas, uma vez que, devido às características do asteroide, os pesquisadores tinham pouco tempo para fazê-lo.

    "Este objeto não era suficientemente brilhante para estudá-lo por muito tempo", destacou Nick Moskovitz, astrônomo do LDT. Moskovitz acrescentou que as características do telescópio usado, de 4,3 metros, fizeram "a diferença".

    Além disso, foi estabelecido que a taxa de rotatividade do 2020 CD3 é de três minutos, o que surpreendeu os pesquisadores, já que o asteroide girava mais lentamente do que o previsto para os objetos daquele tamanho.

    ​A colaboração internacional de pesquisadores do [Reino Unido, Itália, EUA, Finlândia, Suécia, Espanha, Canadá] realizaram a campanha de observação multi-instrumental de 2020 CD3, a segunda minilua da Terra. O Telescópio Óptico Nórdico ajudou a caracterizar este companheiro natural e temporário do nosso planeta.

    A equipe de investigadores combinou a localização da minilua para definir sua órbita com suas características físicas e assim conseguiram provar que o objeto é natural.

    Objeto que pode ser explorado

    O interesse que provoca este tipo de objetos na comunidade científica está ligado à sua proximidade com a Terra, dado que é potencialmente acessível para a exploração robótica ou humana. A exploração permitirá compreender sua origem e sua relação com outros asteroides e cometas do Sistema Solar.

    Satélite temporário da Terra, o asteroide 2020 CD3 foi visto pela primeira vez em 15 de fevereiro pelos astrônomos Theodore Pruyne e Kacper Wierzchos, ambos da Universidade do Arizona, EUA, que utilizaram um telescópio de 1,52 metro no Observatório Mount Lemmon, localizado nos arredores de Tucson, EUA.

    A primeira minilua da Terra foi descoberta há 14 anos e foi nomeada 2006 RH120.

    Mais:

    Lua de Júpiter brilha no escuro, descobrem cientistas (FOTO)
    Astrônomos descobrem asteroide troiano orbitando Marte que poderia ter 'partido' da Lua (FOTO)
    Astrônomos descobrem na atmosfera de Titã molécula nunca antes encontrada no Universo
    Cientistas predizem raro fenômeno astronômico que não acontecia desde tempos medievais
    Tags:
    satélite, Lua, universo, Terra, espaço, asteroide
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar