05:09 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 181
    Nos siga no

    Сientistas da Universidade de Tel Aviv, em Israel, retardaram pela primeira vez o envelhecimento do sistema imunológico humano via terapia hiperbárica de inalação de oxigênio, aumentando a capacidade do organismo de se livrar de células danificadas.

    No experimento, com 35 voluntários de 64 anos de idade e mais, participantes tiveram um curso de oxigenoterapia de 60 sessões diárias. O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Aging.

    Nas 30ª e 60ª sessões, e também 1-2 semanas depois do fim do curso, os cientistas recolheram amostras de sangue dos pacientes e avaliaram o comprimento dos telômeros, ou seja, das extremidades dos cromossomos que desempenham funções protetoras, de diferentes células imunitárias. Com as amostras os cientistas puderam determinar o nível de envelhecimento das mesmas células.

    Descobriu-se que a oxigenoterapia ocasionou aumento de comprimento dos telômeros de linfócitos T auxiliares, linfócitos citotóxicos, células exterminadoras naturais e células B em mais de 20%. Ao mesmo tempo, as maiores mudanças foram vistas nas células B, cujo comprimento de telômeros aumentou em 37%. Adicionalmente, foi observada a redução em número de T auxiliares envelhecidos e linfócitos citotóxicos em 37% e 10%, respectivamente.

    Mais:

    Alimentação saudável na quarentena não tem que dar trabalho, diz nutricionista
    Eficiência da vacina CoronaVac em idosos é de 98%, diz João Doria
    COVID-19 poderia diminuir QI e envelhecer cérebro em até 10 anos de pacientes recuperados
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar