02:40 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    Astrônomos revelaram que, há dez bilhões de anos, outra galáxia foi incorporada à nossa após ter colidido com a Via Láctea.

    Especialistas de Liverpool descobriram esta "fóssil galáxia" escondida nas profundidades da Via Láctea. Ela foi encontrada a partir da observação de movimentos e análise da composição de dezenas de milhares de estrelas. O estudo foi publicado na revista The Monthly Notices Of The Royal Astronomical Society.

    A relíquia cósmica, apelidada de Hércules em homenagem ao herói de mitologia grega, é responsável por um terço do halo (região do espaço ao redor das galáxias espirais) esférico da Via Láctea, constituído por estrelas e gás. Restos de várias galáxias antigas já foram vistas no halo exterior da nossa galáxia. Na verdade, é através de fusões de galáxias que galáxias significativas são formadas.

    Imagem artística da Via Láctea representando como ela pode ser vista de cima. Os anéis vermelhos representam a localização da galáxia fóssil.
    Imagem artística da Via Láctea representando como ela pode ser vista de cima. Os anéis vermelhos representam a localização da galáxia fóssil.

    No entanto, para encontrar tais fusões antigas, como esta, enterrada no fundo do disco e do bojo, é necessário analisar a parte central do halo da Via Láctea.

    "É maravilho detectar esta galáxia", disse autor do artigo e astrofísico Ricardo Schiavon da Universidade John Moores em Liverpool, Inglaterra. "É realmente pequena no contexto cosmológico, pois são apenas 100 milhões de estrelas, mas contém quase toda a metade da massa do halo da Via Láctea", detalhou.

    No estudo, dr. Schiavon e seus colegas, analisaram os dados coletados pelo Experimento de Evolução Galáctica de Observatório de Apache Point (APOGEE, na sigla em inglês), que já tem coletado dados de mais de meio milhão de estrelas na Via Láctea.

    "Para encontrar galáxia fóssil como esta, temos que observar a composição química detalhada e movimentos de dezenas de milhões de estrelas", explicou o especialista. "Isto é especialmente complicado com estrelas no centro da Via Láctea porque elas estão escondidas da vista por nuvens da poeira interestelar. APOGEE deixa-nos 'perfurar' a mesma poeira e olhar profundamente no coração da Via Láctea, como nunca antes", ressaltou o astrônomo.

    "De dez milhões de estrelas das quais observamos, alguns milhões delas, são extremamente diferentes em suas composições químicas e em sua velocidade", contou sua colega Danny Horta, também da Universidade de Liverpool. "Estas estrelas são tão diferentes que poderiam ser provenientes de outra galáxia", concluiu.

    Baseando-se em suas descobertas, a equipe concluiu que a colisão entre Hércules e a Via Láctea "deve de ter sido o maior evento na história da nossa galáxia", o que, acrescentam eles, torna a Via Láctea incomum entre seus semelhantes, uma vez que "as mais semelhantes galáxias espirais maciças tiveram vidas muito mais calmas".

    "Sendo nossa casa cósmica, a Via Láctea já é muito especial para nós, mas esta galáxia antiga, escondida no interior, fez ela ainda mais especial", apontou dr. Schiavon.

    Mais:

    Via Láctea e Andrômeda já estão se fundindo, dizem astrônomos
    Galáxia anã colidiu com Via Láctea há 3 bilhões de anos e foi dilacerada pela gravidade (VÍDEO)
    Detectam pela 2ª vez na Via Láctea estrela de nêutrons emitindo 'misteriosas' rajadas de rádio
    Existem centenas de milhões de planetas potencialmente habitáveis na Via Láctea, segundo estudo
    Tags:
    estrelas, galáxias, Via Láctea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar