04:32 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 151
    Nos siga no

    A probabilidade de uma colisão entre nosso planeta e o asteroide Apofis até 2068 é pequena, porém existe, afirmam cientistas.

    O asteroide 99942 Apophis novamente entra na lista de possíveis colisões com a Terra durante este século depois de uma nova estimativa de sua trajetória.

    Segundo publicou a Gizmodo, após cálculos realizados por cientistas, a probabilidade de colisão com a Terra é de uma em 150.000.

    Quando foi descoberto em 2004, o corpo celeste trouxe uma grande preocupação aos astrônomos por acreditarem que o asteroide com uma força de 80 mil bombas nucleares pudesse se aproximar de nosso planeta em 2029, no entanto, o Apophis passará a 31.000 quilômetros da Terra.

    Em 2036, o asteroide novamente atravessará a órbita do nosso planeta, bem como em 2068. Sendo assim, os astrônomos decidiram se preparara para conhecer mais detalhes do Apophis em suas próximas "visitas".

    Asteroide (imagem ilustrativa)
    Asteroide (imagem ilustrativa)

    Dave Tholen, da Universidade do Havaí, nos Estados Unidos, comentou as declarações da Gizmodo, afirmando que "o cenário de um impacto em 2068 ainda está em jogo" e que o risco "apesar de o risco ser pequeno, ele existe".

    O cientista Andrew Cheng, da Universidade Johns Hopkins também nos Estados Unidos, enfatizou a importância de estudar tanto a parte externa quanto a interna do asteroide.

    A composição, a órbita e outras propriedades do Apophis poderiam mudar sua rota próxima da Terra.

    O impacto do asteroide Apophis com o planeta pode produzir uma explosão "equivalente a 1,2 bilhão de toneladas de TNT ou cerca de 80 mil bombas nucleares de Hiroshima", segundo astrônomo.

    O asteroide tem o nome da antiga divindade egípcia que encarna o caos e apresenta cerca de 370 metros de diâmetro, superior em cerca de um terço à altura dos maiores arranha-céus de Balneário Camboriú no Brasil, por exemplo.

    Mais:

    Portugal investe em missão da Agência Espacial Europeia para desviar asteroides da Terra
    Elementos essenciais à vida são encontrados em abundância no asteroide Bennu
    Asteroide passa mais próximo do que a Lua da Terra, enquanto outros 3 se aproximam
    Tags:
    astrônomo, cientistas, estudo, Terra, risco de colisão, colisão, asteroide
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar