04:36 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Cientistas contemplaram o aglomerado Perseus, onde viram um conjunto de galáxias de propriedades únicas, e onde argumentam haver um blazar, devido aos prolongados jatos detectados na região.

    Astrônomos do Observatório Europeu do Sul no Chile observaram o aglomerado de Perseus, localizado a cerca de 240 milhões de anos-luz de distância e um dos maiores objetos do Universo, onde encontraram halos semelhantes em forma de chamas, através do uso de comprimentos de ondas de rádio de baixa frequência, que permitem ver raios gama, relata um comunicado da instituição.

    "Estas imagens", disse Gendron-Marsolais, membro do observatório, "nos mostram estruturas e detalhes nunca antes vistos, e isso ajuda nosso esforço para determinar a natureza desses objetos".

    As imagens do Very Large Telescope, no Novo México, EUA, as primeiras em alta qualidade, demonstram que a galáxia NGC 1275, localizada no centro do aglomerado, tem esporas de rádio, confirmando uma descoberta de 2002, e filamentos finos de emissões de rádio, bem como estruturas em forma de laço no lóbulo sul, indica o estudo publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

    A galáxia NGC 1265 possui dois jatos longos, ambos dobrados em ângulos de 90 graus, que traçam uma única cauda em forma de cometa que se curva ao redor, bem como filamentos de emissão de rádio na cauda de origem desconhecida.

    A IC 310 tem uma cauda mais reta, considerada uma radiogaláxia luminosa normal. No entanto, pesquisa recente revela que é um blazar, característico pelos jatos de material disparado do núcleo galáctico a uma velocidade próxima à da luz na direção do observador.

    Os pesquisadores também encontraram dentro dos jatos em forma de cauda dois outros jatos estreitamente paralelos, e concluíram que se trata de um blazar, sugerindo que as radiogaláxias de jato curvo e os blazares não são necessariamente tão diferentes assim.

    Mais:

    Nascimento de magnetar raro é 'flagrado' graças a clarão a 5,5 bilhões de anos-luz (VÍDEO)
    Astrônomos descobrem fenômeno responsável pelas pulsações espaciais
    'Estrela da morte': descoberta de blazar mais distante do mundo pode trazer luz à origem do Universo
    Tags:
    Observatório Europeu do Sul, Novo México, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar