00:56 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    110
    Nos siga no

    A NASA e Agência Espacial Europeia necessitam de mais US$ 1 bilhão (R$ 5,4 bilhões) e mais dois anos para aterrissar no Planeta Vermelho e retornar à Terra com amostras.

    Em um informe de um painel independente dos EUA sobre a missão a Marte, é indicado o seguinte:

    "A IRB [Junta de Revisão Independente, em português] concluiu que o programa atual com lançamentos em 2026 e um orçamento de US$ 3 bilhões [R$ 16,24 bilhões] não é consistente com as missões anteriores de Prioridade 1 e Categoria A".

    O presidente da IRB, David Thompson, ex-chefe da Orbital ATK, disse em uma coletiva de imprensa que a agência espacial norte-americana NASA e a ESA necessitam de um orçamento entre US$ 3,8 bilhões (R$ 20,57 bilhões) e US$ 4,5 bilhões (R$ 24,33 bilhões) para realizar a missão, quase 50% a mais que a cifra aceita anteriormente.

    Representação artística exibe brilho verde na atmosfera de Marte
    © Foto / ESA
    Representação artística exibe brilho verde na atmosfera de Marte

    Thompson acrescentou que o lançamento deve ser adiado em dois anos, de 2026 para 2028.

    Os ambiciosos planos conjuntos destas agências espaciais incluem três missões separadas ao Planeta Vermelho, a primeira das quais já começou. A espaçonave destinada a fazer chegar o veículo Perseverance Rover a Marte, acaba de percorrer metade de seu caminho em direção a este planeta. O seu pouso em Marte está programado para 18 de fevereiro de 2021.

    Mais:

    Trio de crateras formadas durante os primeiros dias do Sistema Solar é encontrado em Marte (FOTO)
    Motor nuclear projetado para NASA poderá transportar humanos para Marte em apenas 3 meses
    ESA alerta que cometas podem causar mais danos à Terra do que asteroides
    Tags:
    Agência Espacial Europeia (ESA), NASA, ciência, Terra, espaço, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar