20:24 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    2132
    Nos siga no

    Novo estudo sugere que os pregos vinculados à crucificação de Jesus Cristo têm fragmentos de ossos antigos e madeira embutidos.

    Alegadamente os pregos foram descobertos em uma gruta em Jerusalém, onde estariam enterrados os restos de Caifás, que de acordo com o Novo Testamento foi o sumo sacerdote que organizou uma conspiração para matar Jesus.

    Os objetos apareceram pela primeira vez após uma escavação feita no local em 1990, mas em algum momento os pregos acabaram por desaparecer.

    Porém, em 2011 o cineasta Simcha Jacobovici, no documentário Pregos da Cruz, afirmou ter descoberto os pregos, garantindo mesmo que eles foram usados na crucificação de Jesus Cristo, escreve The Jerusalem Post.

    Naquele tempo, os especialistas criticaram estas afirmações rejeitando que os pregos que Jacobovici encontrou eram os mesmos do túmulo de Caifás.

    No entanto, na semana passada, Aryeh Shimron, geólogo aposentado de Jerusalém que liderou o recente estudo sobre estes fragmentos, descobriu que os pregos eram aqueles retirados do local de enterro de Caifás e foram usados para crucificar alguém.

    "Na ferrugem e sedimentos embutidos nos pregos, nós identificamos e fotografamos vários fragmentos microscópicos de osso", disse geólogo.

    Os pregos associados à crucificação de Jesus Cristo têm fragmentos de osso e madeira
    Os pregos associados à crucificação de Jesus Cristo têm fragmentos de osso e madeira
    "Acredito que as evidências científicas de que os pregos foram usados pra crucificar alguém são realmente convincentes", sublinhou Shimron.  

    No estudo, o geólogo comparou o material dos pregos com o dos ossuários do túmulo, caixas de calcário usadas para armazenar os ossos dos mortos.

    De 25 tumbas analisadas, a gruta de Caifás foi a única compatível com os pregos.

    Alegadamente os pregos foram descobertos em uma gruta em Jerusalém, onde estão os restos de Caifás
    Alegadamente os pregos foram descobertos em uma gruta em Jerusalém, onde estão os restos de Caifás

    Vale ressaltar que antigamente considerava-se os pregos usados na crucificação tinham fortes propriedades curativas e por isso foram guardados como amuletos.

    A Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês) defendeu sempre que os pregos em questão não são do túmulo de Caifás.

    "Parece racional que os pregos mencionados na pesquisa se originaram de fato de uma caverna em Jerusalém que data do mesmo período, porém não foi comprovada uma ligação direta a esta caverna específica", lê-se em comunicado da IAA.

    Mais:

    Crítico ateu traz à tona revelação bíblica sobre existência de Jesus Cristo
    Aldeia onde Jesus Cristo teria caminhado após crucificação pode ter sido descoberta
    Jarros e objetos inteiros de argila mais antigos que Jesus Cristo são achados em Israel (FOTOS)
    Tags:
    pesquisadores, crucificação, Bíblia, Israel, arqueologia, Jesus Cristo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar