21:52 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 44
    Nos siga no

    A nave robótica OSIRIS-REx tocou a superfície do asteroide Bennu nesta terça-feira (20) para recolher partículas de poeira e rochas do corpo celeste antes de iniciar seu retorno à Terra.

    "Os asteroides são como cápsulas do tempo, flutuando no espaço, e podem prover registros fósseis do nascimento do nosso Sistema Solar", disse Lori Glaze, diretora da divisão de ciência planetária da NASA, durante uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (19), segundo o New York Times. 

    ATERRISSAGEM! Coleta de amostras em andamento

    ​Através da análise de partículas de rochas e poeira de Bennu, a NASA espera obter uma compreensão mais profunda de como o Sistema Solar se formou há cerca 4,5 bilhões de anos e como evitar colisões de asteroides com a Terra.

    "Todo o trabalho de uma vida esteve focado neste dia, fazer com que a nave robótica tivesse contato com a superfície do asteroide e coletasse amostras", assinalou o Dr. Dante Lauretta, professor de ciência planetária e cosmoquímica na Universidade do Arizona e chefe da missão, segundo o canal CNBC.

    Assim que meu coletor de amostras entrar em contato com a superfície de Bennu, vou disparar uma carga de nitrogênio pressurizado para suspender o material, que depois será recolhido. Após esse breve toque, vou disparar meus propulsores para me afastar da superfície.

    OSIRIS-REx deve coletar ao menos duas onças (cerca de 56,7 gramas) de material para enviar de volta à Terra.

    Está previsto que a NASA realize uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (21) para divulgar algumas imagens da manobra, que vai determinar se a tentativa de coleta de material foi bem-sucedida. No entanto, os pesquisadores apenas saberão o quanto foi coletado após comparar a massa da espaçonave antes e depois da manobra. Essa análise deve ocorrer em dez dias, o que significa que o resultado da manobra só será conhecido no final de outubro, explicou o site Space.com.

    ​Os pesquisadores da NASA anunciaram que escolheram o exato local da superfície de Bennu em que ocorreriam a "aterrissagem" em dezembro de 2019, três anos depois do lançamento da sonda, em setembro de 2016. Desde que chegou próxima de Bennu em dezembro de 2018, a espaçonave vinha observando o asteroide e registrando os momentos em que o corpo celeste expeliu partículas de sua superfície no espaço.

    Mais:

    Sonda da NASA detecta pela 1ª vez imagens nítidas de nanojatos em coroa solar (VÍDEO)
    NASA pode ter descoberto vida em Vênus em 1978 sem saber, de acordo com estudo
    NASA contrata Nokia para construir rede 4G na Lua
    Tags:
    pesquisa espacial, astrofísica, Espaço, OSIRIS-Rex, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar