04:28 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    150
    Nos siga no

    Há uns 4,5 bilhões de anos, o nosso planeta era um lugar radicalmente diferente – um mundo inabitável dono de temperaturas extremamente elevadas, ar tóxico e constantemente bombardeado pela radiação solar. Cientistas afirmam que tudo mudou com a formação da Lua.

    Um estudo recém-realizado por uma equipe internacional de cientistas liderada pela NASA sugere que a Terra e a Lua tinham um campo magnético conjunto que servia como um escudo contra as partículas do vento solar.

    Durante muito tempo, cientistas acreditavam que a Lua não tinha um campo magnético duradouro devido ao pequeno tamanho do núcleo lunar.

    Graças à utilização de novas tecnologias, pesquisadores da NASA analisaram amostras da superfície lunar que foram coletadas durante as missões Apollo e conservadas por décadas.

    O estudo demonstrou que, durante a formação da Lua, o calor manteve o ferro em estado líquido que, por sua vez, criou um campo magnético de pouca duração devido ao tamanho do núcleo.

    "É como fazer um bolo: quando você o tira do forno e ele ainda está esfriando. Quanto maior a massa, mais tempo demora para esfriar", disse Jim Green, cientista-chefe da NASA e autor principal do estudo
    O campo magnético da Terra funciona como um escudo, protegendo o planeta da radiação cósmica e das partículas carregadas que correm na nossa direção com ventos solares
    O campo magnético da Terra funciona como um escudo, protegendo o planeta da radiação cósmica e das partículas carregadas que correm na nossa direção com ventos solares

    Incialmente, a Lua estava muito mais perto da Terra, mas, ao longo dos anos, foi se afastando devido à gravidade. Os cientistas criaram um modelo computacional para analisar como interagiam os campos magnéticos da Terra e da Lua. A simulação demostrou que as magnetosferas de ambos os corpos celestes estavam conectadas nas regiões polares de cada objeto.

    Os cientistas acreditam que o escudo protetor desempenhou um papel importante na evolução da Terra, uma vez que não permitia que as partículas do vento solar removessem atmosfera do nosso planeta.

    Pesquisadores calcularam que a magnetosfera conjunta da Terra e da Lua persistiu de 4,1 bilhões a 3,5 bilhões de anos atrás.

    Ao longo do tempo, o interior da Lua esfriou e o nosso satélite natural perdeu eventualmente magnetosfera e atmosfera. Cientistas dizem que o campo magnético da Lua se tornou muito mais fraco há 3,2 bilhões de anos, antes de ter desaparecido cerca de 1,5 bilhão de anos atrás.

    Mais:

    Lua pode abrigar antigos fragmentos da superfície de Vênus, aponta estudo
    IMAGENS mostram Lua 'invertida' perfeitamente alinhada sobre Vênus
    Lua está 'enferrujada' nos polos, descobrem cientistas (FOTO)
    Tags:
    Sistema Solar, erupção solar, Sol, satélite, Lua, Terra, campo magnético
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar