19:16 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    190
    Nos siga no

    Uma estrela perto da Terra explodiu há milhões de anos e pode ter sido responsável por uma Era do Gelo em nosso planeta, de acordo com uma nova pesquisa.

    Cientistas da Universidade Técnica de Munique, Alemanha, encontraram evidências de que uma estrela com até 25 vezes o tamanho do Sol passou por uma supernova massiva há 2,5 milhões de anos. A estrela estava perto o suficiente da Terra para que os cientistas pudessem encontrar vestígios da explosão em nosso planeta. Os resultados dessa descoberta foram publicados na revista científica Physical Review Letters.

    Supernovas levam à formação de ferro, manganês e outros elementos pesados. A equipe alemã encontrou ferro-60 e manganês-53 no fundo do oceano que datam de cerca de dois milhões e meio de anos atrás.

    "As altas concentrações de manganês-53 podem ser consideradas 'as armas fumegantes', a prova definitiva de que essa supernova realmente aconteceu", afirma em comunicado Gunther Korschinek, principal autor do estudo.

    Embora uma supernova muito próxima pudesse causar danos massivos à vida na Terra, esta estava longe o suficiente, o que casou apenas um aumento nos raios cósmicos ao longo de vários milhares de anos. O que pode ter desencadeado uma Era do Gelo em nosso planeta por meio da liberação de raios cósmicos que teriam bombardeado a Terra por milhares de anos após a supernova.

    "Isso [aumento de raios cósmicos ao longo de vários ilhares de anos] pode levar ao aumento da formação de nuvens […] Talvez haja uma ligação com a época do Pleistoceno, o período da Era do Gelo, que começou há 2,6 milhões de anos", explica o coautor Thomas Faestermann.

    Os pesquisadores também foram capazes de determinar a meia-vida do manganês-53 a partir de comparações com outros nuclídeos e a idade das amostras. O resultado: 3,7 milhões de anos.

    "Estamos falando de apenas alguns átomos [de maganês-53] aqui. Mas a espectrometria de massa do acelerador é tão sensível que até nos permite calcular a partir de nossas medições que a estrela que explodiu deve ter cerca de 11 a 25 vezes o tamanho do Sol", garante Korschinek.

    Mais:

    Sonda da NASA detecta pela 1ª vez imagens nítidas de nanojatos em coroa solar (VÍDEO)
    De 30 variantes, Hubble constrói FOTO deslumbrante de galáxia espiral a 55 milhões de anos-luz
    NASA pode ter descoberto vida em Vênus em 1978 sem saber, de acordo com estudo
    Hubble registra VÍDEO de supernova em galáxia espiral a 70 milhões de anos-luz da Terra
    Tags:
    Sol, era do gelo, estrelas, supernova
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar