04:22 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    Um objeto transnetuniano (TNO, na sigla em inglês) binário foi detectado por uma rede de observação nos EUA. Objetos transnetunianos consistem em pequenos corpos gelados que orbitam o Sol a uma distância longínqua, para além de Netuno.

    Após terem sido analisadas as observações da Rede de Ocultação Colaborativa de Pesquisa e Educação (RECON, na sigla em inglês), que se dedica ao estudo do Sistema Solar, Rodrigo Leiva e Marc Buie, do Instituto de Pesquisa do Sudoeste, no estado do Texas, descobriram que os dois objetos em questão orbitavam entre si, ao mesmo tempo que giravam ao redor do Sol.

    No estudo, publicado na segunda-feira (28) na revista científica The Planetary Science Journal, Leiva e Buie informam que o objeto binário em estudo foi descoberto graças ao fenômeno de ocultação estrelar, que ocorre quando um corpo espacial passa entre a Terra e uma estrela, resultando na ocultação da última. Assim, os observadores que estejam localizados na rota da sombra produzida pela ocultação podem determinar o tamanho e, possivelmente, a natureza do objeto bloqueador.

    Imagem de alta precisão, tirada pelo conjunto de telescópios (VLT) do ESO, mostra o oitavo planeta do Sistema Solar – Netuno
    Imagem de alta precisão, tirada pelo conjunto de telescópios (VLT) do ESO, mostra o oitavo planeta do Sistema Solar – Netuno

    A descoberta se tornou ainda mais surpreendente quando os pesquisadores perceberam que o objeto transnetuniano binário estava ocultando uma estrela binária, fenômeno que Buie classifica como raro. Leiva acrescenta outras características únicas desta descoberta, tais como a distância de órbita entre os dois objetos.

    "A maioria dos objetos transnetunianos binários se encontram separados por mais de mil quilômetros", mas "estes dois componentes estão bastante próximos um do outro, a apenas 350 quilômetros", segundo o estudo.

    As observações de objetos espaciais vão continuar, e com o tempo será possível entender se corpos como os objetos transnetunianos trarão mais conhecimento para a construção de novos modelos que expliquem como se formou o Sistema Solar.

    Mais:

    Meteoros que passam pela atmosfera da Terra podem ter levado vida para Vênus
    Radar descobre lagos de água salgada debaixo da camada de gelo de Marte
    'Júpiter ultraquente': astrônomos encontram um dos exoplanetas mais extremos do Universo (FOTO)
    Tags:
    observação, ciência, descoberta, estrelas, Universo, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar