04:51 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Astrônomos conseguem provar que partículas de poeira no espaço estão cobertas de gelo. Descoberta facilita futuras tentativas de identificar estrutura e composição de poeira em diferentes ambientes astrofísicos.

    O meio interestelar, ou seja, a matéria entre as estrelas de uma galáxia, consiste não apenas em gás, mas também em uma grande quantidade de poeira. Em algum momento, estrelas e planetas se originaram em tal ambiente porque as partículas de poeira se aglomeraram e fundiram-se em corpos celestes.

    Todavia, para que isso ocorra é necessário haver água. Em ambientes cósmicos particularmente frios, a água ocorre na forma de gelo, mas a conexão entre gelo e poeira nessas regiões do espaço não era clara.

    Mas agora cientistas da Universidade Jena e do Instituto Max Planck, ambos na Alemanha, provaram que as partículas de poeira e o gelo estão misturados. A descoberta foi publicada na segunda-feira (21) revista científica Nature Astronomy.

    Finas camadas de gelo

    "Até agora, não sabíamos se o gelo estava fisicamente separado da poeira ou misturado com as porções de poeira individuais", explica em comunicado Alexey Potapov, autor principal do estudo.

    Gás e poeira no centro da Via Láctea
    Gás e poeira no centro da Via Láctea

    A partir de experimentos em laboratório, a equipe percebeu que os grãos parecem redes macias de poeira, com finas camadas de gelo.

    "Algumas moléculas de água estão tão fortemente ligadas ao silicato que permanecem na superfície ou dentro das partículas de poeira […]. Suspeitamos que essa 'água aprisionada' também exista sobre ou dentro de partículas de poeira no espaço", afirma Potapov.

    Como a água chegou até aqui

    Os astrofísicos podem obter informações valiosas com esses dados. Os resultados permitem aos pesquisadores estimar melhor a quantidade de material e fazer afirmações mais precisas sobre a estrutura, composição e temperatura dos grãos em diferentes regiões do meio interestelar.

    Além disso, a "água aprisionada" pode ajudar a entender como a poeira se acumula, uma vez que pode promover a aderência de partículas menores para formar partículas maiores. Este efeito pode até funcionar na formação de planetas.

    "Se tivermos sucesso em provar que a 'água aprisionada' existiu, ou poderia existir, nos blocos de construção da Terra, talvez até haja novas respostas para a questão de como a água veio para a Terra", comenta Potapov.

    Mais:

    De olho no espaço: eventos espetaculares no Universo são flagrados por telescópios em agosto
    Astrônomos teriam descoberto como Via Láctea 'obteve' Corrente de Magalhães
    Telescópio revela campo magnético mais forte já detectado no Universo
    Buracos negros de tamanho de '100 bilhões de sóis' poderiam resolver mistério de Universo
    Tags:
    Alemanha, água, poeira, Universo, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar