06:06 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 80
    Nos siga no

    A ideia de "seleção natural" ou "sobrevivência do mais adaptado" parece fazer sentido para a Idade da Pedra, quando estávamos lutando por restos de carne, mas será que ainda se aplica atualmente?

    O portal Science Alert perguntou a 12 especialistas se os seres humanos ainda estão evoluindo. Os cientistas são unanimes na resposta, entretanto ressaltam que podemos ter uma ideia errada do que a evolução realmente é.

    Seleção natural e evolução não são a mesma coisa

    Evolução significa meramente a mudança gradual de uma população ao longo do tempo. A seleção natural, por sua vez, é o mecanismo pelo qual essa mudança gradual pode ocorrer.

    Entre os nossos ancestrais da Idade da Pedra, os que corriam mais rápido evitavam ser pisoteados por mamutes e tinham maior probabilidade de ter filhos. Isso é seleção natural. Com o tempo, a população humana tornou-se mais ágil e rápida ao correr. Isso é evolução.

    Evolução pode ocorrer sem seleção natural

    Atualmente não precisamos correr dos mamutes, temos remédios para quando estamos doentes e podemos ir ao mercado comprar comida.

    Pessoas se reúnem durante manifestação de oposição às eleições adiadas, em Hong Kong
    © REUTERS / Tyrone Siu
    Pessoas se reúnem durante manifestação de oposição às eleições adiadas, em Hong Kong

    Dessa forma, talvez não exista pressão para que a seleção natural ocorra. Os especialistas, todavia, afirmam que mesmo sem pressões que levem à seleção natural, a evolução ainda ocorre por outros mecanismos.

    "Qualquer mudança nas proporções dos genes ou variações genéticas ao longo do tempo também são consideradas evolução. As variantes podem ser funcionalmente equivalentes, de modo que a evolução não significa automaticamente 'melhoria'", explica ao portal Stanley Ambrose, professor de antropologia na Universidade de Illinois, EUA.

    Embora alguns genes possam ser afetados pela seleção natural, como os genes que ajudam os humanos a correr mais rápido, outras mudanças em nosso DNA podem não ter nenhum efeito óbvio sobre nós.

    Seleção natural ainda está acontecendo

    Por mais que tenhamos facilitado muito as coisas, ainda existem pressões de seleção ao nosso redor, o que significa que a seleção natural ainda ocorre.

    Como todos os mamíferos, os humanos perdem a capacidade de digerir leite quando param de amamentar. Isso ocorre porque paramos de produzir a enzima lactase. Mas, em alguns países, a população adquiriu persistência à lactase, o que significa que essas pessoas produzem lactase ao longo de toda a vida.

    Um macaco bebê bebe leite durante o festival hindu de Nag Panchami, na Índia
    © REUTERS / Abhishek Chinnappa
    Um macaco bebê bebe leite durante o festival hindu de Nag Panchami, na Índia
    Esse é um exemplo de seleção natural em que nós mesmos fizemos a pressão de seleção: continuamos a beber leite, então evoluímos para poder digeri-lo.

    Sempre há pressões seletivas ao nosso redor, mesmo aquelas que criamos nós mesmos. "Nossas mudanças tecnológicas e culturais alteram a força e a composição das pressões de seleção em nosso ambiente, mas as pressões de seleção ainda existem", comenta Benjamin Hunt, professor da Universidade de Birmingham, Reino Unido.

    A evolução não pode ser interrompida

    Portanto, a evolução pode ocorrer por diferentes mecanismos, como seleção natural e mudanças genéticas. Uma vez que o nosso ambiente está sempre mudando, a seleção natural está sempre acontecendo. Mas mesmo que o ambiente fosse perfeito para os humanos, nós evoluiríamos de qualquer maneira.

    "Desde que a reprodução humana envolva aleatoriedade e mutação genética (e as leis do Universo praticamente garantem que esse sempre será o caso em algum nível), continuará a haver diferenças de uma geração para a outra, o que significa que o processo de evolução nunca pode ser verdadeiramente interrompido", enfatiza Alywyn Scally, especialista em evolução e genética na Universidade de Cambridge, EUA.

    Ou seja, os humanos ainda estão evoluindo e é improvável que isso mude no futuro.

    Mais:

    Será possível ver mais 8 bilhões de anos-luz da evolução do Universo que atualmente, revela estudo
    Vem à tona projeto da 'evolução' de drones para 'imitarem' pássaros
    Vírus gigantes poderiam explicar evolução dos núcleos celulares de seres vivos
    'Adeus, rainha': tornar-se uma república é 'evolução natural' de Barbados, diz embaixador
    Tags:
    evolução humana, DNA, ser humano, humanidade
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar