09:09 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    COVID-19 no mundo em meados de setembro (32)
    1411
    Nos siga no

    Uma equipe de cientistas da Escola Superior de Economia, na Rússia, afirma que tanto o SARS-CoV-2 como outros coronavírus possuem a capacidade de "atrair" um mecanismo pelo qual as células do hospedeiro impedem a replicação viral.

    De acordo com o estudo publicado na PeerJ, as moléculas conhecidas como miRNA hsa-miR-21-3p podem ser o calcanhar de Aquiles da COVID-19, isso porque poderiam ser capazes de reprimir a replicação do coronavírus humano, inibindo o crescimento nos primeiros estágios da infecção e atrasando a imunidade ativa.

    Ao analisar os sete tipos de coronavírus conhecidos que infectam os humanos, os autores do estudo comprovaram que seis deles, incluindo o responsável pela COVID-19, mostram locais de união mútuos para miRNA hsa-miR-21-3p e outro microRNA, chamado hsa-miR-421.

    Para analisar o papel que desempenha após a entrada do coronavírus nas células, os cientistas decidiram analisar o processo de infecção nos pulmões de ratos de laboratório, comprovando que quando ocorre a infecção a produção de miRNA aumenta em oito vezes, indicando que o vírus "promove" a união destas moléculas ao seu próprio RNA, afetando sua multiplicação.

    Agora, os cientistas pretendem analisar as possibilidades de um efeito medicinal sobre o vírus que é atraído aos miRNA descobertos.

    Os especialistas pretendem analisar se a introdução ou eliminação artificial deste mecanismo pode prevenir a reprodução do vírus.

    Tema:
    COVID-19 no mundo em meados de setembro (32)

    Mais:

    Brasil registra mais 14.768 casos da COVID-19 e 415 mortes
    COVID-19: Biden diz que atitude de Trump custou mais de 50 mil vidas nos EUA
    Número de mortes por COVID-19 no mundo chega a 900 mil
    Tags:
    cientistas, novo coronavírus, COVID-19, estudos, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar