15:50 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)
    2200
    Nos siga no

    Em resultados preliminares, cientistas chineses confirmaram que a droga de fabricação russa Triazavirin é eficaz no tratamento de COVID-19, disse o vice-presidente da Academia de Ciências da Rússia, Valery Charushinn, nesta quinta-feira (10).

    "O Triazavirin tem um efeito positivo na luta contra a COVID-19: encurta o curso da doença e alivia muitos sintomas. Recebemos essa informação do presidente da Universidade de Medicina Harbin, Yang Baofeng. Até agora, a resposta não é oficial, pois a pesquisa não foi concluída. O resultado é intermediário e precisa ser aprofundado, mas, no geral, há um efeito positivo", disse Charushin, de acordo com a Universidade Federal dos Urais.

    Ainda de acordo com Charushin, a China aprovou um protocolo de ensaio clínico, que prevê dez estudos duplo-cegos randomizados em hospitais da província de Heilongjiang. Os estudos são conduzidos em pacientes com gravidade leve a moderada da doença.

    O medicamento russo foi enviado à China em fevereiro, após pedido de Pequim, para ser testado como um potencial tratamento para o coronavírus, disse o Ministério da Saúde da Rússia.

    De acordo com a Medsintez, uma das desenvolvedoras, a droga busca atenuar as causas da doença e não influencia o sistema imunológico.

    O medicamento também está sendo testado em hospitais russos.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)

    Mais:

    ONU diz que COVID-19 não diminuiu incidência de conflitos armados
    Brasil registra 4,19 milhões de casos e 128,5 mil mortes por COVID-19
    COVID-19: Biden diz que atitude de Trump custou mais de 50 mil vidas nos EUA
    Número de mortes por COVID-19 no mundo chega a 900 mil
    Resistência antibiótica criaria catástrofe maior que a COVID-19, avisam cientistas
    Vacina contra tuberculose será testada contra COVID-19 no Brasil
    Tags:
    pesquisa, COVID-19, tratamento, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar