00:39 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 120
    Nos siga no

    A descoberta foi realizada no local de construção do novo aeroporto internacional da Cidade do México, batendo os EUA como local em que jaz o maior número desses mamíferos.

    Foram encontrados pelo menos 200 esqueletos de mamutes no local de construção do novo aeroporto internacional na Cidade do México no município de Zumpango, México, informa o jornal Excelsior. Arqueólogos que estão cavando nesta área dizem que o sítio poderia ser a chave para explicar o mistério de sua extinção.

    Paleontólogos trabalham para preservar o esqueleto de um mamute que foi descoberto no local de construção do novo aeroporto da Cidade do México, base militar de Santa Lucía, México, 3 de setembro de 2020
    © AP Photo / Marco Ugarte
    Arqueólogos trabalhando para preservar mamutes

    O evento é acompanhado por observadores, a fim de garantir que os trabalhos de construção sejam suspensos no caso de serem encontrados ossos destes animais.

    "Temos cerca de 200 indivíduos de mamute, cerca de 25 camelos, cinco cavalos", referiu o arqueólogo Rubén Manzanilla López, do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), a respeito dos restos de animais encontrados na área.

    No entanto, também foram encontradas várias pistas que sugerem que os seres humanos podem ter criado ferramentas a partir de ossos dos animais há cerca de 10.000 ou 20.000 anos.

    Causa das mortes

    O arqueólogo Manzanilla López disse que surgiram provas de que os mamutes no local podem ter morrido de causas naturais depois de terem ficado presos na lama no antigo leito do lago que ali existia. Seus restos foram provavelmente extraídos por seres humanos, que também se pensa terem construído armadilhas. Uma delas estava localizada na cidade de San Antonio Xahuento, no município vizinho de Tultepec.

    "Em Tultepec foram encontradas ferramentas feitas com os mesmos ossos. Aqui já tivemos várias indicações de que temos este tipo de ferramentas, mas até que sejam feitos os estudos de laboratório onde traços destes instrumentos ou possíveis instrumentos possam ser vistos, não queremos afirmar que temos essas evidências", comentou Manzanilla López.

    O paleontólogo Joaquín Arroyo Cabrales referiu o grande número de restos mortais encontrados em Santa Lucía, 50 quilômetros ao norte da Cidade do México, comentando que este local poderia servir para testar as hipóteses existentes e explicar a extinção em massa dos mamutes.

    Paleontólogos trabalham para preservar o esqueleto de um mamute que foi descoberto no local de construção do novo aeroporto da Cidade do México, base militar de Santa Lucía, México, 3 de setembro de 2020
    © AP Photo / Marco Ugarte
    Arqueólogos trabalhando para preservar mamutes

    "O que causou a extinção deste animal? Em todos os lugares há discussão, se foi a mudança climática ou se foi a presença humana direta. Penso que no final nossa decisão a nível continental será que houve um efeito sinérgico entre a mudança climática e a presença humana", teoriza ele.

    Santa Lucía ultrapassou o sítio de mamutes em Hot Springs, Dakota do Sul, EUA, como o sítio com a maior descoberta de ossos de mamute do mundo. Além desses sítios, foram encontradas grandes concentrações na Sibéria, Rússia, bem como nos poços de alcatrão em La Brea, Los Angeles, EUA.

    O novo aeroporto mexicano está previsto para ser concluído em 2022, embora as escavações possam atrasar esse prazo.

    Mais:

    Fóssil de mamute 'adolescente' é encontrado no norte da Sibéria (FOTOS)
    IMAGENS de camelos são descobertas esculpidas em presa de mamute de 13 mil anos na Sibéria
    Restos de dezenas de mamutes descobertos no México (FOTOS, VÍDEO)
    Tags:
    Rússia, Sibéria, Los Angeles, Dakota do Sul, EUA, Cidade do México, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar