14:20 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Com uma mordida quatro vezes mais poderosa que a de um tiranossauro e dez vezes mais potente do que a de qualquer outro animal moderno, o pliossauro podia chegar a 15 metros de comprimento.

    O réptil aquático viveu há mais de 150 milhões de anos, e seus fósseis foram descobertos no deserto mais árido do mundo, sendo os mais antigos do hemisfério sul.

    Os cientistas da Faculdade de Ciências da Universidade do Chile e do Museu de História Natural de Atacama, Chile, realizaram a primeira descoberta de fósseis de pliossauros no deserto do Atacama, no oeste de Calama.

    Fósseis encontrados em Calama
    © Foto / Rodrigo Otero
    Fósseis encontrados em Calama

    O réptil aquático é considerado o predador mais mortífero do período Jurássico.

    "Encontramos os restos de dois pliossauros em duas localidades diferentes. Um é um fragmento da mandíbula e o outro é um esqueleto mais completo, que está em processo de extração", afirma Rodrigo Otero, paleontólogo da Universidade do Chile e membro da equipe de pesquisa.

    Pesquisadores da Universidade do Chile e do Museu de História Natural e Cultural do Deserto de Atacama no sítio
    © Foto / Rodrigo Otero
    Pesquisadores da Universidade do Chile e do Museu de História Natural e Cultural do Deserto de Atacama no sítio

    O réptil podia atingir 15 metros de comprimento e tinha uma mordida quatro vezes mais poderosa que os tiranossauros rex. Os pliossauros utilizavam suas patas dianteiras para se movimentarem, enquanto as traseiras eram utilizadas como método de propulsão quando precisavam caçar, alcançando rapidamente sua presa, além de obter importantes níveis de imersão, chegando a 300 metros de profundidade.

    "Eram animais marinhos, com extremidades adaptadas como nadadeiras, tinham corpos hidrodinâmicos, pescoços robustos e curtos, e crânios grandes com dentes de diversos centímetros", detalhou.

    Pliossauros de Calama
    © Foto / Rodrigo Otero
    Pliossauros de Calama

    De acordo com estudos de diferentes fósseis encontrados, o pliossauro tinha um peso estimado de 45 toneladas, e seus dentes podiam medir aproximadamente 30 centímetros.

    Além de ser o primeiro registro no Chile, a descoberta revela que os fósseis são de 160 milhões de anos.

    Imagem artística do pliossauro
    © Foto / Rodrigo Otero
    Imagem artística do pliossauro

    "Em todo o hemisfério sul, eram conhecidos apenas no Jurássico Superior da Argentina [há aproximadamente 150 milhões de anos] e depois em diversos lugares do Cretáceo. Estes restos seriam os mais antigos dos pliossauros conhecidos no hemisfério sul", ressalta Otero.

    A descoberta, publicada pela revista Journal of Vertebrate Paleontology, pode ser uma peça-chave para conhecer a diversidade de espécies marinhas que habitavam as profundezas no período Jurássico Superior.

    Mais:

    Paleontólogos revelam gigantescos dinossauros carnívoros habitando Austrália no Jurássico (FOTOS)
    Revelada espécie do maior ovo fossilizado da era dos dinossauros encontrado na Antártica (FOTO)
    Extinção de dinossauros por queda de asteroide seria inevitável?
    Tags:
    réptil, dinossauro, Deserto do Atacama, Atacama, Chile, arqueólogos, arqueologia, descoberta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar