05:23 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    A descoberta pode resultar em uma nova maneira de compreender como as galáxias se formam e que processos ocorreram no Universo.

    Com a ajuda do radiotelescópio ALMA, localizado no Chile, os astrônomos observaram uma galáxia muito distante que resultou ser muito parecida com a Via Láctea.

    A galáxia está a 12 bilhões de anos-luz de distância, o que significa que a imagem que vemos dela corresponde a um momento em que o Universo tinha apenas 1,4 bilhão de anos.

    Quando os pesquisadores observaram a galáxia conhecida como SPT0418-47, notaram que apresentava traços característicos da Via Láctea. Tendo um disco giratório e um grande grupo de estrelas ao redor de seu centro, que nunca havia sido visto no Universo primitivo.

    Acreditava-se que as galáxias do Universo primitivo, quando este tinha apenas 10% de sua idade atual, eram turbulentas e instáveis, porém a galáxia recém-descoberta não é nada caótica como se esperava.

    "A grande surpresa foi descobrir que esta galáxia é na realidade muito similar às galáxias próximas, contrariando todas as expectativas dos modelos e observações anteriores menos detalhadas", indicou o coautor do novo estudo, Filippo Fraternali, do Instituto Astronômico Kapteyn da Universidade de Groningen, Países Baixos.

    "Este resultado representa um grande avanço no campo da formação de galáxias, pois mostra que as estruturas que observamos nas galáxias espirais próximas e em nossa Via Láctea já estavam em seu lugar há 12 bilhões de anos", explica Francesca Rizzo, do Instituto Max Planck, na Alemanha, em um comunicado publicado na página do Observatório Europeu do Sul.

    A galáxia está tão distante que é difícil de vê-la, inclusive com os telescópios mais potentes, porém a equipe pode examiná-la através de um efeito chamado lente gravitacional, em que o próprio Universo atua como uma lupa e permite aos cientistas observar o cosmos em profundidade.

    Dessa forma, os cientistas utilizaram o telescópio ALMA para observar a SPT0418-47 como um anel de luz quase perfeito ao redor da galáxia próxima, que agia como uma lente.

    Graças a este efeito, a atração gravitacional da galáxia próxima distorce e dobra a luz da galáxia distante, fazendo com que esta pareça deformada e ampliada.

    Mais:

    Colisão cósmica entre Via Láctea e galáxia anã Sagitário poderia ter formado Sistema Solar (VÍDEO)
    Rádio-observatório ALMA encontra cintilações no coração da Via Láctea, revela estudo
    Revelado mistério das gigantescas 'bolhas' espaciais no centro da Via Láctea
    Tags:
    Via Láctea, astrônomo, cientistas, estudos, galáxias, estrelas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar