04:18 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    160
    Nos siga no

    O maior satélite de Júpiter e do Sistema Solar poderia "bater" recorde de outro satélite de Júpiter, que tem a maior estrutura de impacto conhecida entre todos os corpos celestes associados ao Sol.

    Ganimedes, o maior satélite de Júpiter, é o corpo celeste mais acidentado do Sistema Solar, afirma um estudo publicado na revista Icarus.

    Estas imagens mostram que Ganimedes tem uma história geológica complexa. A lua é dividida em dois tipos de terreno, o Terreno Escuro e o Terreno Claro. O Terreno Claro é de cor mais clara e relativamente carente de crateras, sugerindo que é muito mais jovem do que o Terreno Escuro fortemente cicatrizado
    Ganimedes, satélite de Júpiter

    Com base em observações das sondas Voyager (em 1979) e Galileo (entre 1995 e 2003), que sobrevoaram Júpiter, cientistas da Escola de Pós-Graduação em Ciências da Universidade de Kobe, Japão, analisaram a superfície de Ganimedes, notando dois tipos de terreno, um Terreno Escuro encravado e cheio de crateras, e um Terreno Claro, com poucos crateras.

    Isso significa que o Terreno Escuro é mais antigo que o Terreno Claro, na opinião dos pesquisadores liderados por Naoyuki Hirata. A depressão se espalhava por todo o satélite, cobrindo 7.800 quilômetros e superando seu diâmetro de 5.268 quilômetros. No entanto, a equipe notou que a maior parte das fissuras do Terreno Escuro estava concentrada em um único ponto.

    Os cientistas da Universidade de Kobe executaram uma série de simulações dos cenários que poderiam ter levado à essa estrutura, e chegaram à conclusão que foi provavelmente causada por um asteroide de 150 quilômetros atingindo Ganimedes há quatro bilhões de anos.

    O satélite de Júpiter poderia estar sendo atingido a grandes ritmos nessa época, porque o atual detentor do recorde de maior estrutura de impacto do Sistema Solar é a cratera Valhalla, do satélite Callsto, igualmente de Júpiter.

    Segundo teoriza o portal Science Alert, se a configuração de Ganimedes foi realmente determinada por um impacto grande, deveria haver anomalia gravitacional semelhante à da Bacia do Polo Sul-Aitken, Lua.

    Nesse caso, sondas como Juno, da NASA, que está sobrevoando Júpiter, e especialmente JUICE, da Agência Espacial Europeia, poderiam confirmar ou não essa teoria.

    Embora as depressões do maior satélite do Sistema Solar fossem conhecidas, muitos têm considerado que eram resultado de grandes impactos no início da história de Ganimedes.

    Mais:

    Satélite de Júpiter é melhor candidato para abrigar vida extraterrestre, acreditam cientistas
    Adeus, Titã? Lua de Saturno pega cientistas de surpresa com velocidade de distanciamento
    'Fósseis de gelo' são descobertos em meteorito de 4,6 bilhões de anos
    Tags:
    Agência Espacial Europeia (ESA), NASA, Juno, Júpiter
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar