23:11 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)
    2170
    Nos siga no

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse neste sábado (1º) que a pandemia da COVID-19 será longa, e alertou para um enfraquecimento no combate ao vírus provocado pela "fadiga". 

    A previsão foi feita após a quarta reunião do comitê de emergência da entidade, na sexta-feira (31), para avaliar a evolução da doença, seis meses após a OMS decretar a pandemia emergência de saúde global, seu nível mais alto de alerta. 

    Por meio de um comunicado, segundo publicado pela agência AFP, a organização "destacou a longa duração prevista da pandemia da COVID-19". 

    Além disso, a OMS alertou para uma "fadiga de resposta" ao coronavírus por parte dos países, devido a pressões socioeconômicas. A entidade também ressaltou a "importância de esforços sustentados de resposta comunitária, nacional, regional e global".

    'Risco global muito alto'

    Segundo levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins, a COVID-19 já matou mais de 680.000 pessoas no mundo e infectou mais de 17.500.000. 

    Na sexta-feira (31), o México passou o Reino Unido em número de mortes e se tornou o terceiro país com mais óbitos causados pela COVID-19, atrás dos Estados Unidos e do Brasil. 

    "A OMS continua a avaliar o risco global da COVID-19 como muito alto", acrescentou a organização. A entidade disse ainda que os efeitos da pandemia ainda "serão sentidos nas próximas décadas". O comitê de avaliação se reunirá novamente daqui a três meses. 

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)

    Mais:

    Primeiras doses de vacina contra COVID-19 só virão no início de 2021, diz OMS
    Com medo de 2ª onda, OMS admite: manter fronteiras fechadas por muito tempo é 'quase impossível'
    Novo coronavírus 'será uma grande onda', diz OMS
    Tags:
    EUA, México, Brasil, saúde, OMS, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar