07:59 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade de Osaka concluíram que muitas das famosas crateras lunares surgiram ao mesmo tempo, há 800 milhões de anos, como resultado de uma chuva de asteroides.

    "Uma equipe de cientistas, liderada pelo professor Kentaro Terada, baseando-se nos dados obtidos pelo orbitador lunar japonês Kaguya [...], verificou que há 800 milhões de anos um asteroide de mais de 100 quilômetros de diâmetro se desfez e que seus fragmentos de uma massa total de ao menos 40 bilhões de toneladas caíram sobre a Lua e a Terra [...]", informou a equipe da Universidade de Osaka.

    "Foi uma massa de 30 a 60 vezes maior que a do corpo celeste que extinguiu os dinossauros da Terra há 65 milhões de anos", observou.

    Terada também ressaltou que qualquer "chuva" de objetos celestes que se aproxime o suficiente para atingir a Lua, provavelmente atingirá a Terra, conforme o portal NewScientist.

    Foram analisadas 59 imagens de crateras para determinar sua idade, descobrindo que oito delas, incluindo a enorme cratera Copernicus, parecem ter sido formadas na mesma época.

    Considerando o tamanho das crateras, os pesquisadores calcularam que aproximadamente dois trilhões de quilos de rocha, que provavelmente impactaram com a Lua nesta época.

    Os cientistas também provavelmente identificaram o asteroide que entrou em colapso, como sendo um do tipo C Eulalia, cuja fragmentação provocou uma chuva de pequenos asteroides.

    Mais:

    IMAGENS térmicas da NASA 'mostram cores' da maior lua marciana
    Pequena lua pode ter sido descoberta no limite do Sistema Solar
    Origem da Lua poderia ser descoberta trazendo amostras de seu solo à Terra, segundo cientista russo
    Tags:
    estudos, estudo, tempestade, corpo celeste, asteroide, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar