13:07 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 130
    Nos siga no

    O antigo continente só é considerado como tal desde 2017, até agora não havia um mapa detalhado sobre a área que preencheria se não estivesse 94% submerso.

    Na segunda-feira (29), pesquisadores do instituto científico GNS Science da Nova Zelândia anunciaram ter mapeado a forma e o tamanho do continente Zelândia em detalhes sem precedentes. Eles colocaram seus mapas em um site interativo para que os usuários pudessem explorar virtualmente o continente, escreve o portal Business Insider.

    "Fizemos estes mapas para fornecer uma imagem precisa, completa e atualizada da geologia da Nova Zelândia e da área do sudoeste do Pacífico, melhor do que já tivemos antes", disse Nick Mortimer, que liderou a pesquisa, em um comunicado.

    A equipe de Mortimer mapeou toda a superfície batimétrica dentro e em volta do continente submerso, retratando linhas costeiras, os limites territoriais e mostrando os nomes das principais características subaquáticas, publicando os mapas no portal da instituição.

    Este mapa utiliza a rede GEBCO 2019, o primeiro resultado do projeto Seabed2030, que é uma iniciativa global para mapear o fundo do oceano de todo o mundo até 2030. O projeto é uma colaboração entre a Fundação Nippon no Japão e a Carta Batimétrica Geral dos Oceanos (GEBCO, na sigla em inglês). NIWA, GNS Ciência e Informação da Terra Nova Zelândia estão liderando conjuntamente o Centro de Coordenação e Montagem de Dados Regionais do Oceano Pacífico Sul e Oeste, sediado em Wellington, Nova Zelândia
    © Foto / GNS Science
    Carta batimétrica do continente Zelândia

    O outro mapa demonstra os tipos de crosta da Zelândia, desde a crosta oceânica mostrada em azul aos triângulos vermelhos, onde estão os vulcões.

    Isto revela os 5 milhões de quilômetros quadrados do continente Te Riu-a-Maui / Zelândia, uma pequena parte dos quais está em terra, mas a maior parte está sob o mar. As cores mostram a crosta continental em tons de vermelho, laranja, amarelo e marrom e a crosta oceânica em tons de azul. A crosta do arco de ilhas é rosa e a crosta da grande província ígnea é verde (Uma grande província ígnea é uma grande acumulação de rochas ígneas resultantes do magma viajando através da crosta em direção à superfície.)
    © Foto / GNS Science
    Mapa tectônico do continente afundado da Zelândia

    A Zelândia se estende por cerca de cinco milhões de km2, dos quais apenas 6% estão acima do nível do mar, compondo as ilhas neozelandesas e a ilha da Nova Caledônia, o que dificulta a tarefa da pesquisa.

    Segundo a teoria aceita, a Zelândia se formou como parte do supercontinente Gondwana que, por sua vez, se formou junto com Laurásia após separação do supercontinente Pangeia. A Zelândia se afundou quase completamente entre 60 e 85 milhões de anos atrás.

    O conceito do continente Zelândia foi proposto pela primeira vez pelo geofísico Bruce Luyendyk em 1995, apesar de ele dizer que nunca quis que o nome fosse definitivo.

    "A razão pela qual criei este termo foi por conveniência. Eles são pedaços da mesma coisa quando se olha para Gondwana. Então pensei: 'Por que você continua nomeando esta coleção de peças como coisas diferentes?'"

    O reconhecimento por cientistas da superfície como continente chegou em 2017, sendo antes considerado um microcontinente. O projeto de mapeamento de Zelândia faz parte de uma iniciativa global de mapear toda a superfície oceânica mundial até 2030.

    Mais:

    Intenso terremoto atinge a Nova Caledônia
    Terra daqui a 200 milhões de anos: cientistas mostram 'supercontinente' do futuro (FOTO)
    Cientistas encontram 'continentes perdidos' debaixo do gelo da Antártica (VÍDEO)
    Tags:
    Business Insider, Nova Zelândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar