13:48 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho (34)
    2291
    Nos siga no

    Louis Ignarro, ganhador do Nobel de Medicina de 1998, explica a importância de inalar pelo nariz e expirar pela boca no combate a infecções virais.

    As cavidades nasais produzem óxido nítrico (fórmula química NO), um gás incolor e solúvel que aumenta o fluxo sanguíneo através dos pulmões e eleva os níveis de oxigênio no sangue, possuindo igualmente poderes antivirais.

    Em um artigo publicado no Science Alert, Louis J. Ignarro, professor de farmacologia molecular e médico da Universidade da Califórnia (EUA) explica por que é fundamental respirar pelo nariz durante a pandemia.

    Ignarro foi um dos três farmacologistas ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina de 1998 por descobrir como o óxido nítrico é produzido no corpo e como funciona.

    Papel do óxido nítrico

    O NO é uma molécula de sinalização generalizada que desencadeia muitos efeitos fisiológicos, sendo também utilizado clinicamente como gás para dilatar as artérias pulmonares em recém-nascidos com hipertensão pulmonar.

    "O NO é produzido continuamente pelo trilhão de células formadoras do revestimento interno ou endotélio, dos 160.000 quilômetros de artérias e veias em nossos corpos, especialmente nos pulmões", escreve Ignarro.

    Outros tipos de células do corpo, incluindo glóbulos brancos circulantes e macrófagos de tecido, produzem óxido nítrico para fins antimicrobianos, prosseguiu Ignarro em seu artigo.

    Como NO mata vírus

    Em um estudo in vitro realizado em 2004 durante o surto de SARS, o NO aumentou a taxa de sobrevivência de células de mamíferos com núcleos infectados pelo vírus.

    Homem caminha em frente a grafite retratando profissional de limpeza de máscara espalhando coronavírus
    © REUTERS / Sergio Moraes
    Homem caminha em frente a grafite retratando profissional de limpeza de máscara espalhando coronavírus

    Tal fato apontava que o óxido nítrico tivesse um efeito antiviral direto. Em um pequeno estudo clínico também realizado em 2004, o NO inalado foi eficaz contra o SARS-CoV em pacientes gravemente doentes com pneumonia.

    O coronavírus SARS, que causou o surto de 2003 e 2004, compartilha grande parte de seu genoma com o SARS-CoV-2, o coronavírus causador da doença COVID-19, indiciando que a inalação de óxido nítrico poderia ser eficaz no tratamento de pacientes com COVID-19.

    O uso de inalação com NO está atualmente sendo alvo de testes clínicos para tratamento de pacientes com COVID-19.

    Pesquisadores esperam que três propriedades características do NO possam ajudar a combater a infecção: a dilatação das artérias pulmonares e consequente aumento do fluxo sanguíneo através dos pulmões; o fato de dilatar as vias aéreas, aumentando o suprimento de oxigênio para os pulmões e sangue e, finalmente, matar ou inibir diretamente o crescimento e a propagação do coronavírus nos pulmões.

    "De fato, vários testes clínicos de inalação de NO em pacientes com COVID-19 moderada a grave e que precisam de respiradores, estão atualmente em andamento em várias instituições. A esperança é que o NO inalado seja uma terapia eficaz e diminua a necessidade de respiradores e leitos nas UTIs", escreveu o professor.

    O NO produzido na cavidade nasal é quimicamente idêntico ao utilizado clinicamente por inalação. Assim, quando respiramos pelo nariz, a substância vai diretamente para os pulmões, onde aumenta o fluxo de ar e sangue e mantém os microrganismos e as partículas de vírus distantes.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho (34)

    Mais:

    Areplivir recebe luz verde na Rússia para combater COVID-19
    Primeira morte por COVID-19 no Brasil ocorreu dias antes do que se acreditava ser óbito inicial
    Vacina chinesa contra a COVID-19 mostra resultados positivos, diz farmacêutica
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar