04:36 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    Pesquisador diz que "a nevada abaixo da superfície é a culpada", embora a descoberta provavelmente não tenha qualidade de Prêmio Nobel, sugeriu.

    Pesquisadores que estudam anomalias na Antártica que foram descobertas usando a Antena Transitória Impulsiva Antártica (ANITA, na sigla em inglês) aparentemente conseguiram descobrir o que causa os fenômenos, relata o jornal Daily Express.

    A máquina detectou em 2016 e em 2018 as anomalias em questão, que envolviam "neutrinos de alta energia que pareciam sair da Terra e subir para o céu por si próprios".

    Embora já tenham surgido várias explicações possíveis, o Dr. Ian Shoemaker da Faculdade Tecnológica de Ciências da Virginia, EUA, argumentou que as anomalias são "reflexões não-invertidas dos raios cósmicos de ultra-alta energia" que entram em contato com a nevada.

    "Nós achamos que a nevada abaixo da superfície é a culpada", disse ele. "A nevada é algo entre a neve e o gelo glacial, é neve compactada que não é suficientemente densa para ser gelo."

    "Assim, você pode ter inversões de densidade, com faixas em que você vai de alta densidade de volta para baixa densidade, e aqueles tipos cruciais de interfaces em que essa reflexão pode acontecer e poderia explicar esses eventos."

    Shoemaker também sugeriu que, embora a descoberta feita pela ANITA pareça "muito interessante", provavelmente não ser do tipo "ganhadora do Prêmio Nobel".

    "ANITA ainda poderia ter descoberto algo interessante sobre a glaciologia ao invés da física de partículas, talvez ANITA tenha descoberto alguns pequenos lagos glaciais invulgares", interroga-se o pesquisador.

    Mais:

    Revelada espécie do maior ovo fossilizado da era dos dinossauros encontrado na Antártica (FOTO)
    Mistério de sinais de rádio da Antártica é desvendado por pesquisadores
    Cientistas brasileiros pedem mais apoio na luta contra o novo coronavírus
    Anomalia atmosférica: FOTO fenomenal mostra buraco de ozônio acima do Ártico
    Tags:
    Polo Norte, EUA, Antártica, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar