03:58 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4341
    Nos siga no

    O motor é 100.000 vezes menor que um cabelo humano, podendo ser alimentado tanto por energia térmica como elétrica, e é muito mais eficiente do que motores semelhantes projetados anteriormente.

    Cientistas suíços desenvolveram o menor motor molecular do mundo, de acordo com um estudo publicado na segunda-feira (15) na revista Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America.

    O motor é constituído por apenas 16 átomos, medindo menos de um nanômetro (100.000 vezes menos que o diâmetro de um cabelo humano), e pode ser alimentado tanto por energia térmica como energia elétrica, dizem os pesquisadores dos Laboratórios Federais Suíços de Ciência e Tecnologia de Materiais (Empa, na sigla em alemão) e da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL).

    "Isso nos aproxima do último limite de tamanho para motores moleculares", explica Oliver Groning, chefe do Grupo de Pesquisa de Superfícies Funcionais da Empa, ao portal da instituição.

    A energia elétrica é preferível, pois o rotor gira na mesma direção e com uma estabilidade de 99%, tornando-o muito mais eficiente do que outros motores desse tipo projetados anteriormente.

    No entanto, mesmo com esta alta probabilidade, os pesquisadores referem os modelos da física quântica, o que deveria levar o rotor a girar em qualquer direção ao acaso, mas em vez disso há a probabilidade de 99% de girar na mesma direção, o que sugere uma pequena perda de energia que os pesquisadores já disseram que é necessário pesquisar.

    Por causa da violação dos princípios da mecânica clássica, com o fenômeno da tunelização quântica, o motor é capaz de funcionar mesmo estando alimentado com menor energia que a necessária para mover seus componentes.

    A equipe de investigadores acredita que o motor molecular que desenvolveram poderia permitir "estudar os processos e razões da dissipação de energia em processos de túnel quântico", detalhou Groening, o cientista principal do estudo.

    Tags:
    Suíça
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar