12:28 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    140
    Nos siga no

    Grande quantidade de processos ocorre enquanto os asteroides orbitam o Sol. Pode parecer que não acontece nada, mas eles são bombardeados por meteoros e fustigados pela radiação espacial.

    Pela primeira vez, os cientistas conseguiram observar evidências de que mesmo uma pequena quantidade de luz solar pode os desgastar.

    Diversas rochas no asteroide Bennu aparentemente estão se rachando enquanto o Sol as aquece durante o dia e elas arrefecem durante a noite, conforme mostram as imagens da sonda OSIRIS-REx da NASA.

    "Esta é a primeira vez que é observada a evidência deste processo, chamado fraturamento térmico, em um corpo celeste sem atmosfera. É apenas uma peça de um quebra-cabeça que nos conta como era a superfície no passado e como será daqui a milhões de anos", comentou Jamie Molaro do Instituto de Ciência Planetária em Tucson, no Arizona, e autor principal do artigo.

    "Como qualquer processo de desgaste, o fraturamento térmico causa evolução de rochas e superfícies planetárias ao longo do tempo – desde alteração da forma e tamanho de pedregulhos individuais, até ao derrubamento de paredes de crateras", explicou pesquisador principal da missão OSIRIS-REx, Dante Lauretta.

    ​Sonda OSIRIS-REx da NASA revela que a luz solar pode quebrar rochas no asteroide Bennu.

    As rochas dilatam quando a luz do Sol as aquece durante o dia e se contraem à medida que arrefecem à noite, causando pressão que forma fissuras que aumentam lentamente ao longo do tempo.

    Durante algum tempo cientistas tinham cogitado que o fraturamento térmico poderia ser um processo de desgaste importante em objetos sem atmosfera, tais como asteroides, porque muitos deles passam por diferenças extremas de temperatura entre o dia e a noite.

    Para se ter uma ideia, durante o dia a temperatura no asteroide Bennu pode chegar até 127 graus Celsius, baixando à noite até -73 graus Celsius.

    No entanto, muitas das características reveladoras de fraturamento são pequenas, e até a sonda OSIRIS-REx se aproximar de Bennu a coleta de imagens de alta resolução necessárias, que pudessem confirmar o fraturamento térmico em asteroides, não existia.

    Mais:

    Até sábado? Asteroide de diâmetro colossal se aproxima da Terra, adverte NASA (VÍDEO)
    Asteroides antigos ajudaram a criar vida na Terra, segundo estudo
    NASA alerta para aproximação de mais 5 asteroides à Terra
    Tags:
    Sistema Solar, Sol, corpo celeste, NASA, sonda espacial, asteroide
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar