07:23 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    COVID-19 desafia mundo no início de junho (54)
    180
    Nos siga no

    Novo estudo realizado por biólogos e virologistas da Alemanha confirmou que o novo coronavírus pode penetrar nas células do coração, se multiplicando nelas e provocando o mau funcionamento do órgão.

    Já são bem conhecidas as consequências negativas do SARS-CoV-2 no coração dos pacientes. No entanto, os cientistas estavam interessados em saber concretamente como o vírus afeta o seu funcionamento – infetando diretamente as células do músculo cardíaco ou causando inflamação e outras complicações no organismo capazes de afetar os tecidos e o batimento do coração.

    Pesquisadores alemães liderados pela professora Stephanie Dimmeler, da Universidade de Frankfurt, analisaram as duas possibilidades usando amostras de tecido cardíaco humano cultivado em laboratório e infectando as células com duas estirpes diferentes do vírus.

    Durante a pesquisa, a equipe médica provou que o novo coronavírus pode se reproduzir em cardiomiócitos ( fibra muscular cardíaca) apesar de que estas células praticamente não produzem a enzima TMPRSS2, necessária para o coronavírus "se fixar" nelas.

    Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (verde) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (amarelo)
    Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (verde) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (amarelo)

    Em vez desta enzima, o vírus usa outro tipo de biomoléculas das células cardíacas, ainda não determinadas pelos cientistas. Durante o teste, ambas as estirpes do vírus conseguiram penetrar nos três grupos de células cardíacas, causando o mau funcionamento do coração.

    Pesquisadores chegaram a conclusão que o SARS-CoV-2 danifica diretamente o tecido cardíaco, o que deve ser considerado tanto durante o tratamento dos pacientes com COVID-19, como na análise das possíveis consequências a longo prazo do alastramento do vírus na população.

    O estudo dos cientistas aguarda ainda a revisão científica, tendo sido publicado no portal de biologia bioRxiv.

    Tema:
    COVID-19 desafia mundo no início de junho (54)

    Mais:

    Trump usa OMS, China e protestos para distrair EUA do seu fracasso contra COVID-19, dizem analistas
    Epidemiologista japonês explica baixa taxa de mortalidade por COVID-19 na Ásia
    Médico: Brasil pode ter onda ainda pior da COVID-19 com reabertura antes da hora
    Tags:
    célula, coração, cientistas, Alemanha, COVID-19, novo coronavírus, doenças graves, infecção, biologia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar