22:08 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    Depois de serem encontrados nos EUA em 2014, os fósseis de uma fêmea de ictiossauro grávida têm sido estudados para obter mais conhecimento sobre estes gigantescos animais do passado.

    O paleontólogo alemão Martin Sander analisou os restos de uma fêmea grávida de ictiossauro Cymbospondylus duelferi no estado de Nevada, nos EUA, relatando os resultados da pesquisa ao portal científico Phys.org.

    Ictiossauros eram gigantescos répteis aquáticos, a maioria deles semelhante aos tubarões, golfinhos e espadartes, mas muito maiores.

    O ictiossauro foi chamado de Martina pelo paleontólogo quando ele a encontrou durante uma de suas escavações em 2014. Os estudos sobre sua espécie têm continuado desde então até abril deste ano, embora os resultados ainda não tenham sido publicados.

    Esta espécie de ictiossauro habitou o planeta há cerca de 246 milhões de anos. Martina tem 3,6 metros de comprimento, pequena em comparação com outros ictiossauros, que podem atingir 18 metros.

    "Foi o primeiro dos animais gigantes que viveu na Terra",  comentou o paleontólogo.

    Sanders também descreveu Martina como tendo dentes maiores que o normal de sua espécie, medindo cada um mais de cinco centímetros de comprimento.

    Nevada é casa de fóssil de ictiossaura grávida com 246 milhões de anos​

    Com esta descoberta, Martina se tornou a segunda ictiossaura grávida a ser encontrada. A primeira tinha sido descoberta na China e data de há cerca de 249 milhões de anos.

    Mais:

    Devoradores de dinossauros: onde viviam as criaturas antigas mais temíveis na Terra?
    Jovem pesca 'peixe dinossauro' e se assusta (FOTO)
    Lagarto de 45 kg aterroriza família americana por quase 1 semana (VÍDEO)
    Tags:
    China, Nevada, EUA, Phys.org
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar