19:55 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia (INAH) do México localizaram vestígios de um naufrágio de mais de 200 anos nas águas do estado mexicano de Quintana Roo.

    Uma equipe do instituto considerou que os restos correspondem a um veleiro inglês do final do século XVIII ou início do XIX, pelas características da descoberta, tais como uma âncora, um canhão e lingotes de ferro usado como lastro, revela o portal Ultima Hora.

    Ao barco foi designado o nome Manuel Polanco em homenagem ao pescador que encontrou os vestidos do naufrágio e informou ao INAH.

    Arqueólogos subaquáticos localizaram vestígios de um naufrágio de mais de 200 anos nas águas de Quintana Roo. Foi nomeado Manuel Polanco em homenagem ao pescador que o localizou. É o número 70 registrado na Reserva da Biosfera de Banco Chinchorro, informa o INAH.

    Os arqueólogos da Subdireção de Arqueologia Subaquática (SAS) do INAH, envolvidos na descoberta, deduzem que os tripulantes desta embarcação se esforçaram para evitar o naufrágio, já que foi encontrada uma âncora lançada ao mar com a intenção de se prender às barreiras do recife, onde continua encalhada.

    Os detalhes começaram a surgir nesta terça-feira (26). Até o momento, foram realizadas inspeções gerais em duas partes do navio para localizar seus restos e obter uma primeira avaliação.

    Somente se mantiveram em bom estado os elementos mais sólidos encontrados presos ao recife de coral.

    Mais:

    Restos de dezenas de mamutes descobertos no México (FOTOS, VÍDEO)
    Aquecimento global poderia provocar naufrágios tipo Titanic na Antártica
    Fim dos naufrágios? Criadas peças de metal que não afundam de jeito nenhum (VÍDEO)
    Tags:
    coral, navio, embarcação, história, México, naufrágio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar