03:20 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Pesquisadores há décadas buscam evidências de água em Marte e à medida que novas tecnologias são desenvolvidas, novas provas surgem indicando a antiga existência em abundância de rios, lagos e oceanos no Planeta Vermelho.

    Hoje, Marte é gelado e repleto de poeira, além de ser pouco provável que tenha muita água líquida em sua superfície, caso tenha água.

    No entanto, há bilhões de anos, Marte era mais quente e poderia ter tido água líquida suficiente para sustentar vida.

    Recentemente, cientistas descobriram a primeira evidência de um rio em Marte que fluía através do Planeta Vermelho durante mais de 100.000 anos, conforme publicação da revista Nature Communications.

    A equipe analisou as imagens de alta resolução da NASA, que foram captadas dentro da enorme cratera de impacto Hellas no hemisfério sul do Planeta Vermelho, uma das maiores crateras de impacto do Sistema Solar.

    ​Deposição fluvial sustentada é encontrada em registro estratigráfico Noachian de Marte.

    As imagens detalhadas revelaram que a cratera foi formada por rios há mais de 3.700 milhões de anos, quase o mesmo tempo em que a vida estava iniciando na Terra.

    As marcas permanentes deixadas nas faces expostas das falésias de mais de 200 metros de altura revelaram que o rio tinha uma profunda e rápida torrente de água que existia o ano todo.

    Essas marcas na rocha são idênticas às encontradas na Terra quando a água passa pela rocha durante longos períodos de tempo. Acredita-se que o rio se movia constantemente e criava bancos de areia similares ao Reno, ou a outros rios do norte da Itália.

    As imagens também mostram que os processos fluviais que formam estas rochas ocorreram durante um período de tempo muito longo.

    "Os rios que formaram estas rochas não foram um evento isolado, mas que provavelmente estiveram ativos durante dezenas ou centenas de milhares de anos", explicou Joel Davis, um dos autores da pesquisa.

    Isso prova que Marte tinha água líquida em abundância e uma atmosfera estável capaz de hospedar vida há aproximadamente 3.700 milhões de anos, quando o Sistema Solar ainda estava em sua infância.

    "Nunca avistamos um afloramento com esta quantidade de detalhes no que definitivamente podemos dizer que é muito antigo. Esta é mais uma peça do quebra-cabeças na busca da existência de vida passada em Marte, fornecendo uma nova visão da quantidade de água que ocupava estas antigas paisagens", adicionou.

    A evidência reforça a esperança de que as rochas sedimentárias deste período fossem ideais para buscar evidência de vida passada em Marte.

    "Aqui na Terra, as rochas sedimentárias foram utilizadas pelos geólogos durante gerações para impor restrições às condições que havia em nosso planeta há milhões ou bilhões de anos", explicou o coautor Willian McMahon.

    "Agora temos a tecnologia para estender esta metodologia a outro planeta terrestre, Marte, que abriga um antigo registro de rochas sedimentárias que se estende há mais tempo que o nosso planeta", afirmou McMahon.

    Mais:

    Sonda da NASA capta incrível FOTO de 'enorme dragão' na superfície de Marte
    Estamos próximos de colonizar Marte?
    Microorganismos sobrevivem em condições extremas, provando poder haver vida em Vênus e Marte
    Tags:
    extraterrestre, vida extraterrestre, águas, vida, rio, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar