15:50 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 90
    Nos siga no

    Arqueólogos sugerem que a vítima tenha sido decapitada enquanto estava em um poço com as mãos atadas.

    Arqueólogos encontraram o esqueleto de um homem, que aparentemente foi sacrificado como parte de um antigo ritual na China. Além do esqueleto, uma grande quantidade de tumbas foi descoberta na cidade de Jiyuan, na província de Henan, informa a agência Xinhua.

    Pesquisadores sugerem que o homem foi decapitado enquanto olhava em direção ao norte e estava ajoelhado com as mãos cruzadas para frente. Os ossos foram descobertos em um poço de sacrifícios utilizado entre os anos 1046 e 1600, época final da dinastia Shang.

    ​Antigo túmulo de humano ajoelhado sacrificado é encontrado em Henan

    Desde 2010, arqueólogos envolvidos nas pesquisas escavaram aproximadamente seis mil dos 300 mil metros quadrados do sítio arqueológico. Atualmente, foram descobertos casas, poços, caminhos e outras relíquias que incluem instrumentos de cerâmica, pedras, ossos, mexilhões e jade.

    Segundo o líder das escavações Liang Fawei, os restos mortais estão bem conservados e foi encontrado um "osso de oráculo", característico de enterros da época, com a inscrição do personagem "Kan", utilizado para descrever os sacrifícios de pessoas ou gado em poços. Além disso, esta simbologia está vinculada a um método de enterro em uma posição vertical.

    Os "ossos oraculares" são restos de um animal ou carapaças de tartarugas com inscrições primitivas com caracteres chineses. Os povos que habitavam a região utilizavam esses elementos para realizar profecias e consultar os espíritos ancestrais.

    Mais:

    Arca de pedra com 3.500 anos pode revelar túmulo perdido do faraó Tutmés II (FOTOS)
    Câmara oculta no túmulo de Tutancâmon poderia abrigar rainha Nefertiti, revelam cientistas
    Zoológico de Berlim rejeita sacrifício de animais por falta de verbas em meio à pandemia
    Tags:
    arqueologia, túmulo, esqueleto, China, antiguidade
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar