16:00 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    O cometa interestelar 2I/Borisov, que visitou nosso Sistema Solar no ano passado, teria se formado em um ambiente extremamente frio devido às elevadas quantidades encontradas de monóxido de carbono, revelam observações do telescópio ALMA.

    Esta foi a primeira vez que cientistas observaram diretamente materiais químicos armazenados dentro de um objeto espacial originário de um sistema planetário diferente do nosso.

    As observações feitas com o telescópio ALMA por uma equipe internacional de cientistas liderada por Martin Cordiner e Stefanie Milam, do Centro de Voos Espaciais Goddard da NASA, que descobriram que o gás liberado pelo cometa continha quantidades invulgarmente elevadas de monóxido de carbono (CO).

    As concentrações de CO eram mais altas do que em qualquer outro cometa que tenha sido detectado dentro de duas unidades astronômicas do Sol, ou seja, dentro de cerca de 300 milhões de quilômetros.

    As projeções apontam que as concentrações de CO no cometa 2I/Borisov era entre nove e 26 vezes maior que a média de um cometa do Sistema Solar. Os astrônomos querem descobrir mais sobre os cometas, porque estes corpos celestes passam a maior parte do tempo afastados a grandes distâncias de qualquer estrela em ambientes muito frios.

    ​ALMA revela composição incomum do cometa interestelar 2I/Borisov. Nós descobrimos gás de cianeto de hidrogênio (HCN, à esquerda) e monóxido de carbono (CO, à direita). O cometa contém quantidades invulgarmente grandes de CO.

    Ao contrário dos planetas, as composições interiores dos cometas não sofreram significativas alterações desde que nasceram, portanto eles poderiam revelar muito sobre os processos que ocorreram durante seu nascimento em discos protoplanetários.

    "Esta é a primeira vez que olhamos para dentro de um cometa que veio de fora do Sistema Solar, e ele é muito diferente da maioria dos outros cometas que vimos antes", disse em comunicado astroquímico Martin Cordiner.

    ALMA detectou duas moléculas no gás emitido pelo cometa 2I/Borisov – cianeto de hidrogênio (HCN) e monóxido de carbono (CO).

    "O cometa deve ter se formado a partir de um material muito rico em gelo de CO, que só está presente nas temperaturas mais baixas encontradas no espaço, abaixo de -250 °C", explica Stefanie Milam, cientista planetária.

    Mais:

    Mistério do Sistema Solar finalmente é desvendado graças a cometa salgado
    Veja em FOTOS o início do fim do 1º cometa interestelar 'visitante' do Sistema Solar
    Astrônomo amador descobre novo cometa que poderá se tornar visível da Terra (VÍDEO)
    Tags:
    corpo celeste, astronomia, NASA, objeto interestelar, cometa, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar