00:22 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1150
    Nos siga no

    Uma nova pesquisa revelou que uma espécie de lula é capaz de modificar seu RNA, antes mesmo de este sair do núcleo da células.

    A descoberta poderia servir para fazer avanços na edição genética em humanos e potencialmente curar uma série de doenças.

    De uma forma resumida, o RNA (ácido ribonucleico) é uma molécula que utiliza o nosso DNA, nossos genes, para transmitir a sua informação durante a síntese de proteínas de que a célula necessita para as suas atividades e desenvolvimento.

    Isto é feito através do chamado RNAm, ou seja, RNA mensageiro, que codifica a informação do DNA, cria "mensagens" de tipo RNA e envia-as para fora do núcleo para "informar" as células sobre as proteínas que devem "fabricar".

    ​Na segunda-feira, cientistas relataram na revista Nucleic Acids Research que as lulas (Doryteuthis pealeii) são os únicos animais conhecidos que podem editar o RNA mensageiro fora do núcleo da célula.

    Na sua grande maioria, os genes, ao menos em humanos, permanecem imutáveis até se recombinarem e se transmitirem à geração seguinte. O mesmo acontece com o nosso RNA, mas não no caso das lulas.

    O geneticista Joshua Rosenthal do Laboratório Biológico Marinho, nos EUA, garante que as lulas Doryteuthis pealeii são capazes de "modificar o RNA na periferia da célula", escreve o portal Science Alert.

    "Isto significa que, teoricamente, elas podem modificar a função da proteína para atender às demandas localizadas na célula. Isto lhes dá muita liberdade para adaptar a informação genética, conforme necessário", explicou cientista.

    "A edição de RNA é muito mais segura do que a edição de DNA. Se você cometer um erro, o RNA simplesmente desaparece", concluiu Rosenthal na revista Wired.

    Mais:

    DNA de esqueletos de 8.000 anos revela 'linhagem fantasma' na antiga África
    DNA de micróbio 'imortal' poderia guardar informações para alienígenas e humanos do futuro
    DNA de antigos sardos permite desvendar 6.000 anos da história da humanidade
    Tags:
    EUA, RNA, vida marinha, genes, DNA, lula
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar