15:53 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1321
    Nos siga no

    Arqueólogos e historiadores há muito se perguntam onde está o local de sepultamento final do antigo rei grego Alexandre, o Grande.

    A arqueóloga Liana Souvaltzi, especialista no estudo da vida do antigo rei grego da Macedônia, afirma ter descoberto sua verdadeira tumba há 20 anos no Egito, mas teria sido interrompida pelos governos grego e egípcio desde então, informou o tabloide britânico Express.

    Suas pesquisas sugerem que o suposto desejo do rei de que seu corpo fosse enterrado no famoso templo do supremo deus egípcio Amon-Rá, no Oásis de Siuá, havia sido honrado: seu suposto último lugar de descanso era de enorme significado no mundo antigo, e foi neste local que Alexandre foi supostamente "confirmado" como filho de Zeus, o rei dos deuses na mitologia grega.

    Souvaltzi e sua equipe encontraram um local adornado por um símbolo de Amon-Rá, ornamentos gregos e estátuas de leões (sugerindo que o local de sepultamento era o de uma figura importante), e mais tarde foi descoberto que era um vasto monumento historicamente significativo – um grande túmulo real helenístico de 525 metros quadrados.

    Verdadeiro túmulo?

    Em 1995, foi anunciado que o túmulo de Alexandre teria sido encontrado, embora desde então tenham persistido alegações de novas pesquisas e outros esforços bem-sucedidos com esse fim.

    Souvaltzi disse à imprensa grega na época que não havia reservas sobre este ser o verdadeiro túmulo de Alexandre.

    "Mas eu estou falando para todos os gregos em todo o mundo. Quero que cada um de vocês se sinta orgulhoso, porque mãos gregas encontraram este monumento muito importante", elogiou a arqueóloga o esforço de sua equipe grega, provocando uma reação negativa do governo grego, profundamente envolvido em controvérsias nacionalistas.

    Mulher cobrindo rosto passa ao lado de estátua de Alexandre, o Grande, em Salônica, Grécia, 17 de março de 2020
    © REUTERS / Murad Sezer
    Mulher cobrindo rosto passa ao lado de estátua de Alexandre, o Grande, em Salônica, Grécia, 17 de março de 2020

    O então premiê grego Costas Simitis pediu que a equipe parasse a pesquisa no Egito e enviou um conselheiro da embaixada grega para pedir ao governo egípcio que retirasse a permissão de Souvaltzi para escavar na área.

    Alexandre, o Grande – o lendário rei da Macedônia e famoso comandante militar – conquistou um império, que se estendia desde os Bálcãs até ao Paquistão atual, aos 30 anos de idade.

    Mais:

    Encontrada tumba de príncipe de 2.600 anos com coleção de peças valiosíssimas na Itália (FOTOS)
    Arqueólogos acham no Egito 83 tumbas repletas de sarcófagos e peças de barro (FOTOS)
    Revelada causa da morte de Alexandre, o Grande
    Tags:
    Alexandre, o Grande, Egito, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar