13:30 06 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus se espalha pelo mundo (498)
    7312
    Nos siga no

    Em fotografias coloridas obtidas com um microscópio eletrônico, células do nosso organismo foram captadas em processo de autodestruição, cercadas pelos microrganismos.

    O Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA (NIAID, na sigla em inglês) difundiu através da plataforma Flickr uma nova série de imagens do vírus SARS-CoV-2, o agente patogênico responsável pela doença COVID-19.

    As imagens mostram como estes microrganismos, que se assemelham a pequenas esferas, rodeiam as células de um paciente infectado com a doença, provocando a apoptose, ou seja, a morte celular por autodestruição.

    Como o tamanho do vírus é de cerca de 100 nanômetros, muito abaixo do que uma lente tradicional poderia visualizar, as imagens foram captadas com auxílio de um microscópio eletrônico e posteriormente coloridas. Cem nanômetros equivalem a 0,00001 cm.

    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula VERO E6 (azul) bastante infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (laranja)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula VERO E6 (azul) bastante infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (laranja)
    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (tan) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (laranja)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (tan) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (laranja)
    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula VERO E6 (azul) fortemente infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (verde)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula VERO E6 (azul) fortemente infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (verde)
    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (azul) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (vermelho)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (azul) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (vermelho)
    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (castanha esverdeada) fortemente infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (rosa)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (castanha esverdeada) fortemente infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (rosa)
    • Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (verde) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (amarelo)
      Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula apoptótica (verde) infectada com partículas do vírus SARS-CoV-2 (amarelo)
    1 / 6
    Micrografia eletrônica digitalmente colorida de uma célula VERO E6 (azul) bastante infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (laranja)

    Tal como os outros coronavírus, o SARS-CoV-2 é basicamente uma esfera cheia de ácido ribonucleico (RNA), a qual contém sua informação genética. Sua superfície, composta de lípidos, possui várias saliências proteicas, que lhe permitem aderir a uma célula do hospedeiro e forçá-la a replicar o RNA viral como se fosse seu próprio.

    Esta não é a primeira vez que o vírus é fotografado em laboratório. A própria NIAID já tinha publicado várias imagens coloridas por computador em meados de fevereiro.

    No início deste mês, cientistas chineses revelaram a verdadeira aparência do vírus, quando o fotografaram igualmente com recurso a um microscópio eletrônico, descobrindo à época que o microrganismo tinha a capacidade de mutação, dependendo das condições ambientais.

    Investigadores russos também partilharam fotografias do SARS-CoV-2 em 19 de março.

    Tema:
    Coronavírus se espalha pelo mundo (498)

    Mais:

    Bolívia ameaça prender por até 10 anos quem descumprir quarentena contra coronavírus
    Militares russos chegam a Bergamo para ajudar no combate ao coronavírus (VÍDEO)
    Moscou toma medidas 'sem precedentes' para conter o coronavírus, diz prefeito
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar