23:46 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1112
    Nos siga no

    Um cometa recém-descoberto tem chamado muita atenção tanto de astrônomos profissionais como amadores, já que tem se tornado cada vez mais brilhante nos últimos dias.

    Graças ao telescópio de observação ATLAS, localizado na Universidade do Havaí, em 28 de dezembro de 2019 foi descoberto o cometa C/2019 Y4 (ATLAS).

    Na segunda metade de março o corpo celeste tem estado a brilhar como uma estrela de magnitude 8 – por enquanto não é visível a olho nu, mas pode ser visto por telescópios de tamanho médio no céu noturno.

    Atualmente o C/2019 Y4 está atravessando a órbita de Marte e se aproximando do Sistema Solar interno. À medida que o cometa se aproxima de nós, ele vai ficando cada vez mais brilhante.

    Se nada de extraordinário acontecer, o corpo celeste deve se tornar suficientemente brilhante para ser facilmente visto com binóculos e talvez tão luminoso que poderá ser observado a olho nu em locais com boa visibilidade noturna.

    Vale destacar que os cometas têm comportamento extremamente errático e são intrinsecamente imprevisíveis. Teremos que esperar para ver como o C/2019 Y4 (ATLAS) irá se comportar, avança portal EarthSky.

    O cometa ficará o mais perto da Terra em 23 de maio de 2020. Seu periélio, ou seja, o ponto da órbita que está mais próximo do Sol, deverá ocorrer no dia 31 de maio.

    Se as previsões estiverem certas, o cometa ATLAS poderá atingir uma magnitude de 5+ por volta de 1º de maio de 2020. Teoricamente isto é brilhante o suficiente para ser visto a olho nu, mas a indistinção dos cometas com brilho fraco pode torná-los mais difíceis de detectar do que estrelas de brilho comparável.

    Mais:

    NASA fixa sonda em Marte batendo nela com 'pá' (VÍDEO)
    Cometa-camaleão: sonda da ESA desvenda mudanças de cor em misterioso corpo celeste
    Mistério do Sistema Solar finalmente é desvendado graças a cometa salgado
    Tags:
    Sistema Solar, astronomia, Terra, corpo celeste, cometa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar