12:15 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 144
    Nos siga no

    Cientistas no Reino Unido descobriram um anticorpo que poderia neutralizar a doença em meio à pandemia de coronavírus que avança a cada dia mais pelo mundo.

    O sangue de uma pessoa que em 2004 tinha contraído SARS-CoV-1 (doença que deixou centenas de mortos antes de ser contida há cerca de 17 anos) foi analisado por uma máquina de raios X, chamada The Diamond Light Source, que funciona como um tipo de microscópio gigante.

    Com esse experimento, os pesquisadores aprenderam como a pessoa se recuperou do SARS-CoV-1.

    O coronavírus recebeu esse nome devido a umas proteínas na forma de espigas que apresenta em sua superfície, semelhantes a uma coroa. A equipe chegou à conclusão que a proteína se ligava ao vírus de uma maneira melhor do que ao vírus da SARS, explicou o professor Gwyndaf Evans da organização sem fins lucrativos Diamond, onde foi feita a descoberta.

    Defesas imunológicas

    Durante o processo experimental, os profissionais isolaram a proteína do vírus da SARS, observaram quais anticorpos poderiam se ligar e localizaram um potente capaz de destruí-lo pelas defesas imunológicas do corpo.

    Espera-se que uma futura terapia medicamentosa possa ser estabelecida com base nesses resultados, motivo pelo qual a equipe uniu forças com a empresa Exscientia que se dedica à descoberta de medicamentos usando inteligência artificial.

    Vírus SARS-CoV-2 sob microscópio eletrônico Cryo-EM, que analisa amostras a temperaturas criogênicas
    Vírus SARS-CoV-2 sob microscópio eletrônico Cryo-EM, que analisa amostras a temperaturas criogênicas

    O coronavírus SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, é muito semelhante ao da SARS (SARS-CoV-1), que se espalhou inicialmente pelos países asiáticos no final de 2002 e depois globalmente, causando uma pandemia. O vírus SARS-CoV-1 deixou 774 mortos e 8.098 casos de infecção, enquanto que o SARS-CoV-2 já infectou quase 250.000 pessoas e matou mais de 10.000.

    Mais:

    Médica explica principal diferença entre novo coronavírus, SARS e MERS
    Especialista descobre característica traiçoeira do coronavírus
    Novo estudo garante que SARS-CoV-2 é natural e não sintetizado em laboratório
    Tags:
    vacina, anticorpos, pandemia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar