23:24 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    7525
    Nos siga no

    Cientistas chineses realizaram um estudo para determinar se existe uma ligação entre pacientes do tipo sanguíneo e sua suscetibilidade ao novo coronavírus.

    Pesquisadores recolheram amostras de 2.173 pacientes com COVID-19 de três hospitais chineses em Wuhan e Shenzhen, das quais 206 amostras pertenciam a pessoas que morreram de coronavírus.

    Cientistas primeiro examinaram o grupo sanguíneo de 3.694 residentes saudáveis de Wuhan e descobriram que entre eles, 33,84% eram do tipo sanguíneo O, 32,16% do tipo sanguíneo A, 24,90% do tipo sanguíneo B, e 9,10% do tipo sanguíneo AB.

    Os testes de 1.775 pacientes infectados no Hospital Jinyintan (incluindo 206 falecidos) mostraram que 25,80% eram do grupo sanguíneo O, 37,75% do grupo sanguíneo A, 26,42% do grupo sanguíneo B, e 10,03% do grupo sanguíneo AB.

    Resultados semelhantes foram mostrados pelos estudos de outros 398 pacientes dos hospitais de Wuhan e Shenzhen.

    O resultado do estudo, publicado no site de pesquisa médica Medrxiv, mostra que a susceptibilidade à COVID-19 depende em certa medida do tipo sanguíneo: para pessoas do tipo sanguíneo A, é ligeiramente mais perigosa do que para outras.

    Mais:

    OMS recomenda medicamento para autotratamento do coronavírus
    Especialista americano prevê agravamento do coronavírus: 'Vai ficar cada vez pior'
    Infectologista norte-americano não descarta 2º surto da COVID-19 na China
    Tags:
    sangue, infectados, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar