22:06 04 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    5132
    Nos siga no

    A NASA registrou imagens de crateras em Marte que alguns especialistas acreditam que poderiam abrigar vida.

    A agência norte-americana NASA divulgou imagens da superfície do planeta vermelho que lembram uma sobremesa italiana: o famoso tiramisù. As fotos revelam uma capa de gelo próxima ao polo norte do planeta. O solo vermelho está visivelmente coberto com água congelada e dióxido de carbono.

    "Esta imagem de uma parte exposta das camadas de depósitos do polo norte [NPLD, na sigla em inglês] parecem muito uma fatia deliciosa de tiramisù em camadas. As NPLD são feitas de gelo de água e partículas de poeira empilhadas. Contudo, em vez de congelarem, as camadas são cobertas por gelo sazonal de dióxido de carbono, conforme vemos aqui como gelo leve aderindo a uma das camadas", informa a NASA em um comunicado.

    A foto foi tomada pela missão Mars Reconnaissance Orbiter da NASA, que embarcou na jornada para o planeta vermelho em 2005. A sonda envia regularmente aos pesquisadores imagens detalhadas da superfície marciana, enquanto os cientistas continuam a buscar evidências de que o planeta abrigou vida em algum momento.

    NASA registra imagem de água congelada na superfície de Marte
    © NASA .
    NASA registra imagem de água congelada na superfície de Marte

    "Se minerais carbônicos se formaram na superfície de Marte por reações químicas entre a água e a atmosfera, a presença destes minerais seria uma pista que a água esteve presente por um longo período – talvez longo o bastante para que a vida se desenvolvesse. No final, nem sempre é tão simples estudar NPLD em Marte, mas [...] existe esperança", agrega a NASA oficialmente.

    Mais:

    Água em Marte? Sombras podem gerar bacias salinas momentâneas
    Sonda da NASA descobre 'camadas' e 'fissuras' na atmosfera superior de Marte
    Astrônomos descobrem centenas de novos planetas para além de Netuno
    Tags:
    sonda, imagem, Marte, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar