13:45 07 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    353
    Nos siga no

    Grandes ecossistemas como a floresta amazônica e os recifes de coral podem entrar em colapso mais rápido do que os cientistas haviam previsto anteriormente, de acordo com estudo publicado nesta terça-feira (10).

    Pesquisadores analisaram dados sobre mudanças em dezenas de ecossistemas para concluir que os recifes de coral do Caribe podem entrar em colapso em 15 anos, enquanto a floresta amazônica pode desaparecer em 50 anos - embora essa última previsão tenha sido questionada por alguns especialistas.

    "As mensagens aqui são fortes. Precisamos nos preparar para mudanças nos ecossistemas do nosso planeta que são mais rápidas do que imaginávamos", disse John Dearing, professor de geografia física da Universidade de Southampton, que liderou o estudo.

    Estudo aponta outro destino aos ecossistemas maiores, que deveriam demorar mais para entrar em colapso pelo tamanho, com degradação e desaparecimento mais rápidos do que em ecossistemas menores.

    Isso ocorre porque os subsistemas e habitats que compõem sistemas maiores podem parecer inicialmente mais resistentes, mas depois se deterioram muito rapidamente quando um ponto de inflexão é atingido.

    A pesquisa contou com a participação de estudiosos da Escola de Estudos Orientais e Africanos e da Universidade de Bangor. O levantamento analisou 42 ecossistemas no total (4 terrestres, 25 marinhos e 13 de água doce) de diferentes tamanhos, informa a agência de notícias Reuters. 

    Mais:

    Papa Francisco defende Igreja Católica com 'rosto amazônico'
    Por que estudo dos peixes pode nos ajudar a salvar Amazônia?
    Presidente da Suzano alerta que desmatamento na Amazônia em 2020 será 'catastrófico'
    Florestas tropicais da Amazônia estão perdendo capacidade de absorver dióxido de carbono, diz estudo
    Tags:
    pesquisa, Nature, Amazônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar