07:49 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 32
    Nos siga no

    Pesquisadores descobriram genes de espécie de leão-marsupial desconhecida do tamanho de gatos domésticos e com dentes muito afiados no Outback australiano.

    A espécie, chamada Lekaneleo roskellyae, viveu há pelo menos 23 milhões de anos nas montanhas do noroeste do estado australiano de Queensland.

    A descoberta se deu logo após análises serem feitas com fósseis encontrados na área do Patrimônio Mundial de Riversleigh, no mesmo estado.

    Leão diferente

    Em entrevista ao portal ABC, o pesquisador Michael Archer, da Universidade de Nova Gales do Sul, Austrália, disse:

    "Eles [a espécie de leões] tinham um pré-molar semelhante a um parafuso, extraordinário e alongado [...] Ele [o dente] é capaz de triturar ossos."

    Ainda segundo o pesquisador, as características dos dentes do leão-marsupial o fizeram ser "a mais extraordinária adaptação ou evolução que um carnívoro mamífero já desenvolveu em qualquer lugar no mundo".

    Contudo, ainda é pouco sabido sobre o modo de vida do animal, uma vez que atualmente não existem leões semelhantes aos da espécie encontrada.

    Lekaneleo roskellyae é um novo leão-marsupial da Austrália reclassificando [o] Prisciello roskellyae, do Oligoceno-Mioceno

    Pequeno, mas temível

    Embora fosse de tamanho pequeno, semelhante ao de gatos domésticos atuais, Archer afirma que a espécie era como um "terror" dos animais de sua época.

    "Eu penso que muitos dos animais da antiga floresta de Riversleigh tremiam com suas patas peludas ao ver tal animal passando por perto", acrescentou.

    No entanto, apesar do nome, os leões-marsupiais não são parentes próximos de leões modernos vistos geralmente na África.

    Mais:

    É um carro ou um dinossauro? Barulho de crocodilo deixa testemunha assustada (VÍDEO)
    Enorme leão mostra às hienas que ninguém se mete com sua leoa
    Texugo destemido enfrenta leão
    Tags:
    Austrália, dentes, fóssil, leão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar