17:51 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    170
    Nos siga no

    O exoplaneta K2-18b, duas vezes maior que a Terra e localizado a 124 anos-luz, poderia apresentar todas as condições necessárias para albergar vida, de acordo com estudo realizado por astrônomos da Universidade de Cambridge, Reino Unido.

    Os cientistas mediram a massa e o raio, bem como os dados da atmosfera, do K2-18b e determinaram que é possível que o planeta tenha água líquida por baixo da sua atmosfera abundante em hidrogênio.

    Poucos meses atrás, o referido exoplaneta foi considerado até agora "o melhor candidato para ser habitável", quando foi detectado vapor de água na sua atmosfera, refere o estudo publicado na The Astrophysical Journal Letters.

    K2-18b tem um raio 2,6 vezes maior que o do nosso planeta e sua massa é 8,6 vezes maior que a terrestre, além disso ele orbita em torno de sua estrela a uma distância ideal para albergar vida, sendo que permite a existência de água na forma liquida.

    O planeta K2-18b e o recém-descoberto K2-18c, orbitam sua estrela K2-18 (anã vermelha), localizada à distância de 124 anos-luz da Terra na constelação de Leo (apresentação artística)
    © Foto / Alex Boersma
    O planeta K2-18b e o recém-descoberto K2-18c, orbitam sua estrela K2-18 (anã vermelha), localizada à distância de 124 anos-luz da Terra na constelação de Leo (apresentação artística)
    "Detectou-se vapor de água em atmosferas de vários exoplanetas, mas mesmo que estejam em uma zona habitável isso não significa necessariamente que haja condições habitáveis na superfície", explicou o líder do estudo, Nikku Madhusudhan, do Instituto de Astronomia da Universidade de Cambridge.

    "Para determinar a possibilidade de que seja habitável, é importante entender o interior [do planeta] e suas condições atmosféricas, sobretudo a possibilidade da existência de água em estado líquido por baixo da sua atmosfera", acrescentou o cientista.

    Durante o estudo pormenorizado do K2-18b, os pesquisadores chegaram à conclusão que sua atmosfera é rica em hidrogênio com uma quantidade significativa de vapor de água e também que os níveis de outros componentes químicos, como metano e amoníaco, são mais baixos do que o esperado para uma atmosfera deste tipo.

    Cientistas acreditam que tais planetas podem ser estudados com mais facilidade com os atuais centros de observação e os futuros que devem ser construídos como, por exemplo, o telescópio espacial James Webb, cujo lançamento está previsto para março de 2021.

    Mais:

    'Marte está vivo': sonda da NASA registra sismos no Planeta Vermelho
    Estrela em extinção cria espetacular nebulosa planetária (FOTO)
    Túnel subterrâneo? NASA descobre 'precipício sem fundo' em superfície de Marte (FOTOS)
    Tags:
    Espaço, astrofísica, água, vida alienígena, hidrogênio, Terra, exoplaneta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar