13:38 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    Uma antiga gravura em pedra, retratando um guerreiro escocês no que se acredita ser um "cemitério de elite", teria sido criada para "invocar proteção sobrenatural".

    A pedra com a gravura foi descoberta por operários de uma nova estrada em Perth, Escócia, em 2017. Os trabalhadores perceberam algo diferente na pedra e chamaram as autoridades. A partir de milhares de fotos foi reconstruída uma imagem completa da gravura, de dois metros de altura. Os pesquisadores produziram igualmente uma imagem 3D da gravura. As descobertas foram publicadas no jornal Antiguity.

    Análises da imagem sugerem que o guerreiro estava segurando uma lança, que seria usada por escoceses séculos atrás, afirma, em um comunicado, Gordon Noble, diretor de Arqueologia da Universidade de Aberdeen (Escócia). "Ele também possui um distinto corte de cabelo, está usando um capacete e colar, além de possuir uma linha suave em volta do tornozelo esquerdo, o que poderia sugerir um calçado ou calças apertadas".

    A última pedra, chamada Tulloch Stone, é uma das únicas três de seu tipo. Sua descoberta auxilia os especialistas a melhor compreender o papel dos guerreiros na sociedade da época. A Tuch Stone foi encontrada em uma área que se acredita ter sido um local de sepultura de membros da elite ou realeza.

    Pedra com gravura de guerreiro celta na Escócia
    Pedra com gravura de guerreiro celta na Escócia

    Novel explica que a imagem não seria o retrato de uma pessoa específica, mas uma representação.

    "As sepulturas não eram comuns neste período – existem somente algumas dezenas de cemitérios conhecidos do tipo, então o ato de enterrar em si é um indicador de que estas pessoas tiveram um papel significante na sociedade", comenta Noble para a Newsweek.

    A descoberta, afirmam pesquisadores, dá uma nova percepção da história escocesa na época. "A Escócia não existia como Nação – o território conhecido hoje como Escócia abrigava diversos reinos inimigos e grupos linguísticos", esclarece Noble.

    O Callanish Stones, Escócia (foto de arquivo)
    © flickr.com / Colin Macdonald
    O Callanish Stones, Escócia (foto de arquivo)

    O estudo foi parte de um projeto em andamento para revelar mais sobre os pictos, um povo celta chamado de "povo perdido da Europa", segundo a Universidade de Aberdeen. Acredita-se que dominaram o Norte e Leste da Escócia até o final do século XI, porém, faltam registros escritos. Os pesquisadores envolvidos no projeto esperam encontrar mais vestígios desta sociedade.

    Mais:

    Arqueólogos acham no Egito 83 tumbas repletas de sarcófagos e peças de barro (FOTOS)
    Ilhas místicas da Escócia são até mais antigas do que Stonehenge, revelam cientistas
    Arqueólogos ficam 'aterrorizados' com nova descoberta no Egito (FOTOS)
    Tags:
    arqueologia, Escócia, guerreiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar