19:54 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 91
    Nos siga no

    Uma colaboração de quase 2 anos entre BAE Systems e Prismatic Ltd. resultou em uma aeronave econômica e eficaz, com a qual a BAE Systems espera revolucionar o mercado aéreo e espacial.

    A companhia britânica BAE Systems ensaiou com sucesso o lançamento de uma aeronave não-tripulada, Phasa-35, com o objetivo de agir como alternativa a satélites que orbitam a Terra, relata o jornal Blackpool Gazette. Tal como estes, ela poderá funcionar como fornecedor de sinal 5G em locais para cobertura móvel em casos de emergência.

    Tal como seu nome indica, a aeronave de fibra de carbono tem 35 metros de envergadura de asa.

    Os ensaios tiveram lugar no campo de testes da Força Aérea Real australiana de Woomera, no estado da Austrália do Sul.

    "Este é um excelente resultado inicial que demonstra o ritmo que pode ser alcançado quando reunimos o melhor da capacidade britânica. Ir do projeto ao voo em menos de dois anos mostra que podemos estar à altura do desafio que o governo britânico colocou à indústria para fornecer um Sistema Aéreo de Combate do Futuro [Future Combat Air System] durante a próxima década", disse Ian Muldowney, diretor de Engenharia da BAE Systems.

    Estão planejados mais voos para o fim de 2020. Caso continuem bem-sucedidos, poderá começar a servir clientes até um ano após a conclusão do programa de ensaios de voo.

    Características do projeto

    A Phasa-35 voará a uma velocidade lenta. Com suas asas de painel solar e bateria de alta tecnologia, a aeronave pode permanecer no ar durante meses, sendo mais móvel e muito mais barata do que um satélite.

    Projetado para operar na estratosfera, o avião poderá observar a navegação comercial, incêndios florestais, fronteiras, ou ser usado em áreas de controle de desastres. A empresa acredita que no futuro tais máquinas serão importantes no mercado aéreo e espacial.

    O projeto tem sido desenvolvido nos últimos 2 anos como parte de uma colaboração entre especialistas da BAE Systems em Warton, Lancashire, no Reino Unido, e da Prismatic Ltd., que a empresa comprou no ano passado.

    Mais:

    Drones espiões dos EUA são enviados pela 1ª vez para Guam
    Pentágono testa 'nave mãe' para drone Gremlin
    Rússia poderá criar 1º no mundo drone submarino nuclear, prevê analista de Forbes
    Tags:
    Reino Unido, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar