12:59 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    130
    Nos siga no

    O casco de uma enorme tartaruga pré-histórica foi encontrado na Colômbia. Análises revelam marcas de mordidas, indicando que o animal foi atacado por crocodilos de mais de 12 metros de comprimento.

    A tartaruga, Stupendemys geographius, encontrada no deserto de Tatatacoa, viveu durante o Mioceno, de 13 a 7 milhões de anos atrás, revela a publicação Newsweek.

    O enorme animal foi primeiramente descoberto nos anos 70 e seria a maior tartaruga que já viveu na Terra. No entanto, o espécime ainda é pouco conhecido, com diversos detalhes ainda faltando.

    Imensa tartaruga pré-histórica Stupendemys geographicus
    © REUTERS / J. A. Chirinos
    Imensa tartaruga pré-histórica Stupendemys geographicus

    Edwin Cadena, geólogo e paleontólogo de vertebrados da Universidade de Rosário (Colômbia), e seus colegas estavam pesquisando por espécimes para saber mais sobre seus modos de vida e biologia. As descobertas foram divulgadas na publicação Science Advances.

    Anteriormente, se sabia que o animal marinho teria vivido nos territórios dos atuais Brasil, Colômbia e Venezuela. A descoberta expande significativamente a geografia de seu habitat. Além disso, o trabalho de Cadena e seus colegas acrescenta novos conhecimentos sobre a vida destas tartarugas, revelando que os machos possuíam grandes chifres em seus cascos para se defenderem de predadores.

    Análises detalhadas também revelaram marcas de mordidas e ossos perfurados, indicando que foram resultado de ataques de crocodilos Gryposuchus e Purussaurus, já extintos.

    Paleontologista colombiano Edwin Cadena com fósseis da tartaruga Stupendemys geographicus
    © REUTERS / Rodolfo Sanchez
    Paleontologista colombiano Edwin Cadena com fósseis da tartaruga Stupendemys geographicus

    O biólogo colombiano afirmou à Newsweek que ele e sua equipe desejam continuar explorando a América do Sul em busca de novos fósseis: "Não somente da gigante Stupendemys, mas também de espécies extintas que revelam a origem e história da biodiversidade atual, fósseis que poderiam dar uma pequena contribuição para os planos de conservação de seus descendentes."

    Mais:

    Australiano é atacado por crocodilo ao tentar salvar tartaruga
    Cauda de dinossauro de 125 milhões de anos é descoberta no Reino Unido (FOTO)
    Em âmbar de 99 milhões de anos, fóssil de ave com dentes é achado em Mianmar (FOTOS)
    Tags:
    fóssil, biologia, crocodilo, paleontologia, tartaruga
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar