14:23 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 160
    Nos siga no

    Um fragmento fossilizado de uma ave do Cretáceo Superior incrustado em um âmbar que tem cerca de 99 milhões de anos foi descoberto por uma equipe internacional de paleontólogos. A descoberta foi publicada no jornal chinês Global Times.

    Um grupo internacional de cientistas liderados por paleontólogos chineses da Universidade de Geociências da China descobriu um âmbar no vale de Hukawg, no norte de Mianmar, que foi adquirido por um colecionador de Pequim em 2012 e posteriormente entregue à pesquisadora Xing Lida e à equipe dela.

    Ao analisar as características dos ossos do pássaro, os investigadores inseriram o animal no grupo das Enantiornithes – aves voadoras que existiram no período Cretáceo e possuíam dentes.

    Pesquisadores descobrem ave fossilizada preservada em âmbar

    A amostra tem 5,3 centímetros de comprimento e pesa 79,5 gramas. No estudo publicado na revista Science Direct, o grupo de paleontólogos aponta que provavelmente pertencia a uma espécie que tinha mais de 10 centímetros de comprimento, aponta Global Times.

    ​Estudo científico publicado hoje! E esse nos dá informação sobre "uma incomum e grande asa de pássaro em um âmbar birmanês de meados do Cretáceo" por Xing. Eu deveria começar a estudar aves mesozoicas. Elas são simplesmente uma fofura.

    A pele e as penas da asa foram preservadas, o que ajuda os cientistas a restaurar as cores e a estrutura do corpo da ave. O pássaro tinha penas marrons com linhas e manchas de uma tonalidade mais clara, o que a difere de outros exemplares descobertos na mesma zona.

    Mais:

    Família encontra fóssil de mamífero gigante em praia na Argentina (FOTOS)
    Pesquisadores encontram fóssil de espécie 'colossal' extinta na Antártica
    Tags:
    China, paleontologia, Birmânia, pássaro, ave, fóssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar